2015/10/30

Governo aprova juros mais altos para consignado de aposentados

Decisão foi aprovada pelo Conselho Nacional da Previdência Social.
Mudança passará a valer somente com publicação no 'Diário Oficial'.

O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovou, nesta quinta-feira (29), aumento das taxas de juros do crédito consignado (com desconto na folha de pagamento) de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), informou o governo.

Para empréstimo pessoal, o percentual passa de 2,14% para 2,34% ao mês. Já para empréstimos feitos pelo cartão de crédito, a taxa sobe de 3,06% para 3,36% ao mês, acrescentou o Ministério da Previdência Social.

A mudança passa a valer somente com a publicação no Diário Oficial da União de Resolução do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o que está previsto para acontecer nos próximos dias, explicou o governo.

O Conselho Nacional de Previdência Social debatia o aumento da taxa de juros do crédito consignado de aposentados e pensionistas desde maio deste ano. Segundo o Ministério da Previdência, o sistema financeiro que opera o crédito consignado para aposentados e pensionistas pedia um aumento maior ainda – o que não foi aceito.

O limite do crédito consignado também foi ampliado de 30% da renda para 35%, segundo lei sancionada no dia 22 de outubro.

De acordo com o texto, esse percentual a mais, de 5%, só poderá ser usado para bancar as despesas com cartão de crédito. Ou seja, além de o trabalhador poder pedir um crédito ao banco equivalente até 30% do que ganha por mês, como antes, ele também poderá comprometer mais 5% do seu salário para pagar suas dívidas com cartão de crédito, que tem taxas de juros muito mais altas.

Uma pessoa que recebe R$ 2.000 por mês antes podia comprometer com empréstimo em folha até R$ 600 (30%). Com a nova regra, esse valor sobe para R$ 700 (35%), e desse total, R$ 100 só podem ser usados para pagar as dívidas do cartão de crédito.

http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2015/10/governo-aprova-juros-mais-altos-para-consignado-de-aposentados.html

Escárnio?

Frases extraídas do programa político do PCdoB apresentado em rede nacional na noite de ontem, quinta-feira, com as devidas loas à nave-mãe PT :

..."Estamos perto de acabar com a miséria no Brasil"...
..."Lula e Dilma respeitam nossos direitos"...
..."O Brasil ficou mais rico..."

Sugestão de um novo nome para o partido: PCdeUmMundoDistante


2015/10/29

Trabalhadores da Petrobras iniciam greve no país

Paralisação por tempo indeterminado ocorre em ao menos 6 estados.
Petrobras ofereceu reajuste de 8,11%; categoria reivindica alta de 18%.

Trabalhadores da Petrobras em ao menos 6 estados iniciaram greve nesta quinta-feira (29) reclamando de lentidão nas negociações com a empresa sobre o reajuste de salários e contra o plano de venda de ativos da estatal.

Segundo a Petrobras, as atividades da companhia seguem "normais" e n"ão há qualquer prejuízo à produção ou ao abastecimento do mercado".

A paralisação por tempo indeterminado envolve os trabalhadores dos sindicatos filiados à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Sergipe, Pará e Amazonas.

A categoria reivindica reajuste salarial de 18%. Na véspera, foi rejeitada a nova proposta da Petrobras de reajuste de 8,11%.

Uma nova reunião entre trabalhadores e a petroleira está marcada para a tarde desta quinta-feira.

"A apresentação de uma nova proposta econômica, além do atendimento ao pleito de incluir representantes de empresas do Sistema Petrobras na mesa negociação, demonstra a disposição da companhia em dialogar abertamente com as entidades sindicais", informou em nota a estatal.

A Federação Nacional dos Petroleiros (FUP), que representa outros 12 sindicatos, também promete entrar em greve, mas ainda não determinou o início da paralisação. Dentre as demandas da federação estão a reposição de empregados por meio de concurso público, reformulações da política e gestão de segurança, meio ambiente e saúde, continuidade de grandes obras da companhia e a revisão do plano de desinvestimentos da companhia.

Do G1, em São Paulo
Atualizado em 29/10/2015 13h39

http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/10/trabalhadores-da-petrobras-iniciam-greve-no-pais.html

2015/10/27

Presidente do TJ mantém decisão que afastou Rosinha da Santa Casa de Campos

O  presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, negou hoje o pedido de liminar impetrado pelo governo Rosinha Garotinho (PR), contra a decisão do juiz da 1ª vara Cível de Campos, Elias Pedro Saber Neto, que tornou sem efeito a decreto municipal 272/20015, a partir do qual o governo municipal interviu na Santa Casa de Misericórdia de Campos, durante menos de 24 horas, entre os últimos dias 20 e 22.

Por sua vez, titular da 1ª Vara Cível de Campos, o juiz Elias Pedro Sader Neto, marcou  uma audiência especial para esta quarta-feira, dia 28, a partir das 14h, entre a junta interventora da Santa Casa de Misericórdia e representantes da Prefeitura de Campos.

 Com informações do blog Opiniões:  http://www.fmanha.com.br/blogs/opinioes/

2015/10/26

Fim da greve dos bancários no RJ

Alguns estados aceitaram reajuste de 10%; outros mantêm greve.
Paralisação foi iniciada no dia 6 e outubro e dura 21 dias.

Após 21 dias de paralisação, bancários de vários estados decidem na noite desta segunda-feira (26) se encerram a greve da categoria, iniciada no dia 6 de outubro. Em vários estados, a paralisação chegou ao fim e os bancários vão retornar ao trabalho nesta terça-feira (27) (veja a lista abaixo).

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria. Assembleias acontecem nesta segunda-feira em todas as bases sindicais da categoria no país.

Os estados de Mato Grosso e Roraima rejeitaram a proposta dos bancos e decidiram manter a greve. Embora a tendência seja de fim da greve em todo o país, a decisão de cada assembleia regional é soberana.

Veja abaixo as cidades ou estados que decidiram pelo fim da greve, total ou parcialmente (em ordem alfabética):

-
ACRE
Funcionários de bancos privados e do Banco do Brasil decidiram encerrar a greve. Os funcionários da Caixa Econômica Federal e Banco da Amazônia, entretanto, decidiram permanecer paralisados.

- ALAGOAS
Além dos bancos privados, funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) também decidiram pelo fim da paralisação.

- AMAPÁ
 Os bancários aceitaram a proposta dos bancos, e todas as agências retomam o trabalho na terça-feira.

- AMAZONAS
Funcionários do Banco do Brasil e de bancos privados decidiram encerrar a paralisação. Apenas os bancários da Caixa Econômica Federal e do Banco da Amazônia (Basa) ainda continuam em greve.

- BAHIA
Trabalhadores de bancos públicos e privados na Bahia decidiram encerrar a greve da categoria. O retorno aos trabalhos no estado foi decidido em assembleia, que ocorreu na noite desta segunda, no Ginásio de Esporte da categoria, na Ladeira dos Aflitos.

- CEARÁ
Os funcionários dos bancos privados decidiram encerrar a greve. Os bancários do Banco do Nordeste (BNB) decidiram pela continuidade da paralisação. Os funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal seguem reunidos em assembleia.

- DISTRITO FEDERAL
Bancários do Distrito Federal decidiram em assembleia terminar a greve da categoria. Segundo o Sindicato dos Bancários do DF, 2,2 mil trabahadores de bancos públicos e privados participaram da assembleia no Setor Bancário Sul.

- ESPÍRITO SANTO
Bancários decidiram encerrar a greve.

- GOIÁS
Funcionários dos bancos privados e do Banco do Brasil encerraram a greve. Bancários da Caixa Econômica Federal decidiram manter a paralisação.

- MARANHÃO
Sindicato decidiu pelo fim da greve. Apenas as agências do Banco do Nordeste e Banco da Amazônia continuam fechadas.

- MATO GROSSO DO SUL
Os bancários do estado aceitaram a proposta de 10% de reajuste e decidiram encerrar a greve em assembleia realizada nesta segunda.

- MINAS GERAIS
Os trabalhadores de Belo Horizonte e região decidiram encerrar a greve da categoria. Bancários de Uberlândia também terminaram a paralisação. Os bancários de Uberaba também aceitaram a proposta e terminaram a paralisação.

- PARÁ
Bancários das instituições privadas e do Banco do Estado do Pará (Banpará) encerraram a paralisação. Funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal seguem em greve.

- PARAÍBA
Os bancários de Campina Grande e região decidiram encerrar a greve.

- PARANÁ
Os bancários de Curitiba e Região Metropolitana decidiram encerrar a greve.

- PIAUÍ
Os bancários do Piauí decidiram encerrar o movimento. A informação foi confirmada pela diretoria de recursos humanos do Sindicato dos Bancários do Piauí.

- RIO DE JANEIRO
A categoria aceitou voltar ao trabalho. Funcionários de entidades privadas e públicas – da capital e do interior – se dividiram em votações diferentes, mas o resultado foi o mesmo em todos
- RIO GRANDE DO SUL
Uma assembleia realizada determinou o fim da greve em bancos privados no estado. Em relação aos bancos estatais, ainda não foi divulgada a decisão da categoria.

A região de Santa Maria ainda não tem definição. Em Rio Grande, no Sul do estado, apenas funcionários do Banco do Brasil seguem em greve. Nas regiões de São Sebastião do Caí, Santa Cruz do Sul e Ijuí, novas assembleias serão realizadas a partir das 8h de terça-feira (27) para definir a situação.

- RONDÔNIA
Os funcionários do Banco do Brasil e bancos particulares decidiram pelo fim da greve. Os bancários da Caixa Econômica Federal optaram por continuar paralisados.

- SANTA CATARINA
Bancários de bancos privados, da Caixa e do Banco do Brasil na Grande Florianópolis e todos da região de Criciúma, no Sul do estado, decidiram encerrar a greve.Outras regiões do estado faziam assembleias

- SÃO PAULO
O sindicato do estado de São Paulo decidiu pelo fim da greve. Os bancários de Limeira também encerraram a greve. Segundo o sindicato da categoria, que engloba também a cidade de Iracemápolis (SP), as 34 agências públicas e privadas dos dois municípios já foram abertas nesta segunda-feira (26).

Os bancários de Sorocaba e região aprovaram fim da greve. As agências bancárias públicas e privadas do Alto Tietê também retomam o atendimento nesta terça. Em Piracicaba, São José do Rio Preto, Araçatuba e região , São Carlos, Araraquara e Rio Claro e região e Campinas a decisão também foi o fim da greve.

- SERGIPE
Os bancários do estado encerraram a greve.

- TOCANTINS
Bancários decidiram retomar o trabalho na terça.

Reajuste salarial de 10%
A última proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaba) ofereceu reajuste salarial de 10%, aplicáveis aos salários, benefícios e participação nos lucros, além de correção de 14% no vale-refeição e no vale-alimentação.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), os bancos aceitaram também abonar 63% das horas dos trabalhadores de 6 horas, de um total de 84 horas, e 72% para os trabalhadores de 8 horas, de um total de 112 horas. Assim, após a volta ao trabalho, os bancários irão compensar, no máximo, uma hora por dia útil, até o dia 15 de dezembro.
Inicialmente, os bancos ofereceram um reajuste de 5,5%, enquanto os bancários reinvindicavam uma correção de 16% nos salários.

"A nova proposta da Fenaban, apresentada no 19º dia da greve, significa a manutenção do modelo que vinha sendo colocado em prática nos últimos anos, de reposição integral da inflação mais aumento real e abono parcial dos dias parados", informou a Contraf, em nota.

Em 12 meses, até setembro, a inflação acumulada chegou a 9,77%, segundo o IPCA-15, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A greve da categoria entou nesta segunda-feira em seu 21º dia. Durante a paralisação, mais de 12 mil das 22.975 agências instaladas no país chegaram a fechar as portas para o público.

Greves em 2013 e em 2014

 No ano passado, os bancários fizeram uma greve entre 30 de setembro e 06 de outubro. Os trabalhadores pediam em reivindicação inicial reajuste salarial de 12,5%, além de piso salarial de R$ 2.979,25, PLR de três salários mais parcela adicional de R$ 6.247 e 14º salário. A categoria também pedia aumento nos valores de benefícios como vale-refeição, auxílio-creche, gratificação de caixa, entre outros. A greve foi encerrada após proposta da Fenaban de reajuste de 8,5% nos salários e demais verbas salariais, de 9% nos pisos e 12,2% no vale-refeição.

Em 2013, os trabalhadores do setor promoveram uma greve de 23 dias, que foi encerrada após os bancos oferecerem reajuste de 8%, com ganho real de 1,82%. A duração da greve na época fez a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) pedir um acordo para o fim da paralisação, temendo perdas de até 30% nas vendas do varejo do início de outubro.

http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/10/bancarios-decidem-sobre-fim-da-greve-nesta-segunda.html

Sicoob Cred Rio Norte em franca expansão

Dando continuidade ao seu projeto de expansão, a diretoria do Sicoob Cred Rio Norte, cooperativa de crédito com sede central em Campos dos Goytacazes, aprovou em Assembleia Geral  Extraordinária, junto aos delegados representantes dos cooperados, o início dos estudos de viabilidade de incorporação de uma nova cooperativa - agora do município de Mendes, sul do estado do Rio de Janeiro. Na mesma AGE foi nomeada a comissão especial que irá elaborar o relatório contendo os resultados dos levantamentos a serem realizados.  

No último dia primeiro de setembro, em outra AGE, os delegados aprovaram a incorporação da Bom Credi, cooperativa de crédito rural de Bom Jardim, o que levou o Sicoob Cred Rio Norte a se tornar, em relação ao Rio de Janeiro, a maior cooperativa de crédito em cobertura geográfica. A instituição já é a quarta em movimentação financeira e segue como a única de livre admissão do estado, reunindo profissionais de todas as categorias.

www.sicoobcredrionorte.com.br

2015/10/24

Tarifas de vans em Campos são reajustadas para R$ 2,75

Algumas vans estão cobrando o preço de R$ 2,00.
Decreto municipal autorizou o aumento do tarifa.

Um decreto municipal autorizou o aumento das tarifas do transporte alternativo em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Publicado no Diário Oficial do último dia 8, a determinação reajusta a tarifa para R$ 2,75. A passagem nas vans custava R$ 1,50.

Diante do reajuste tarifário dos coletivos do município, implantado desde o dia 1º de setembro, a prefeitura considerou a necessidade de igualar a tarifa do Serviço de Transporte Alternativo Municipal de Passageiros (Setamp), as vans.

O valor já pode ser reajustado desde a data da publicação da medida no D.O., mas algumas linhas ainda não realizaram o reajuste. Outras como Nova Brasília, já aumentaram os preços e fixaram em R$ 2,00. 

De acordo com o decreto, o valor não pode ser alterado para as linhas distritais, ele é válido apenas para a área urbana.

O transporte alternativo é regulamentado em Campos desde 2010, através da Lei 8.169/2010 e, atualmente, cerca de 297 vans estão legalizadas, segundo a prefeitura.

http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2015/10/tarifas-de-vans-em-campos-rj-tambem-sao-reajustadas-para-r-275.html

2015/10/22

Sicoob Cred Rio Norte em São João da Barra


O Consultor do Sicoob Cred Rio Norte, Neilton Ribeiro da Silva, cumpriu nesta quinta-feira, 22 de outubro, uma série de atividades em São João da Barra. Por volta das 8h30m, esteve na rádio Barra FM 87,5 FM, onde concedeu uma entrevista ao radialista Ricardo Cardoso . Neilton Silva falou das atividades da cooperativa naquele município, que inclusive conta agora com uma agente de captação de negócios, Sandra Neves, além de uma nova agência, na Avenida Rotary, 165, Centro, a cargo de Juliane Souza, e das perspectivas de desenvolvimento regional. Uma nova entrevista ficou previamente agendada para o próximo dia 29 deste mês.

Dando prosseguimento à agenda em São João da Barra nesta quinta-feira, Neilton Silva visitou a IV Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Informação, desenvolvida pela secretaria de Educação do município no CIEP Professora Gladys. Os alunos sanjoanenses desenvolvem seus trabalhos tendo como tema a “ciência, tecnologia e inovação a partir de vivências em São João da Barra”, com base na proposta nacional: “Luz, ciência e vida”. O consultor da cooperativa visitou stands e foi recebido pelos secretário e o subsecretário de Trabalho e Renda da prefeitura de São João da Barra, respectivamente Luiz Paulo Madureira e Antônio Neves.

Por último, no final da manhã, na biblioteca do CIEP Professora Gladys, Neilton Silva foi recebido  pelo prefeito de São João da Barra, José Amaro Martins de Souza, o Neco. O consultor do Sicoob Cred Rio Norte expôs a mecânica de trabalho e os serviços da cooperativa, e recebeu do prefeito Neco a incumbência de remeter à prefeitura uma proposta que viabilize a concessão de empréstimos consignados aos funcionalismo público municipal, o que será analisado pela área jurídica e secretarias de Fazenda e Administração. Neilton Silva fez ainda um convite formal para que o prefeito Neco visite a sede central da cooperativa, em Campos dos Goytacazes, o que foi prontamente aceito. A data será marcada nos próximos dias.



Justiça determina afastamento de membros da PMCG da Santa Casa

O juiz titular da Primeira Vara Cível de Campos, Elias Pedro Sader Neto, deferiu ação interposta pelo promotor Leandro Manhães requerendo afastamento imediato de todos os agentes da prefeitura de Campos, que por força de um decreto da prefeita de Campos, assumiram com ampla divulgação o que seria uma "intervenção" na Santa Casa de Misericórdia.

Veja a matéria completa e a decisão do juiz, que citou "Para estarrecimento geral, em verdadeira petição de princípio, o quarto ‘considerando’, que fundamenta o malsinado ato administrativo (…) escancara a confissão da prefeita, no sentido de que a Saúde Pública, por ela gerida há quase sete anos, se encontra em situação de calamidade pública." , em:

http://www.fmanha.com.br/blogs/opinioes/2015/10/22/chegou-rosinha-saiu-rosinha-justica-devolve-santa-casa-a-junta-interventora/

2015/10/21

Campos demite mais do que contrata em 2015 e busca por emprego dispara

O número maior de demissões do que contratações neste ano em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, fez disparar a procura por postos de trabalho na cidade. Mais de 5 mil pessoas se inscreveram em apenas um dia para concorrer às 258 vagas temporárias do processo seletivo do Centro de Controle de Zooneses (CCZ), formando uma fila de dobrar o quarteirão. A previsão é de mais 7 mil escritos até o fim do prazo, nesta quarta-feira (21). Já no Balcão de Emprego da cidade, cerca de 300 pessoas estão com entrevistas marcadas para concorrer a 33 vagas disponíveis para o cargo de atendente.

Segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), de janeiro a agosto de 2015, Campos registrou 21.497 contratações contra um número superior de demissões, que chega a 22.144. Uma saldo negativo de 647 vagas. Em 2014 foram 28.782 admissões contra 24.760 demissões. Um saldo positivo de 4.022 postos de trabalho.

Filas aumentam no segundo dia de inscrições para o CCZ

 A situação na fila para as incrições do processo seletivo do CCZ ficou ainda mais complicada nesta quarta (21). Alguns interessados começaram a se aglomerar no local a partir das 16h de terça-feira (20), assim que terminou o primeiro dia de inscrições. As vagas para a função de agente de endemias são para contrato de um ano, renovável por mais um. O salário é de R$ 1.135,94. As inscrições terminam às 16h desta quarta.

A prova objetiva será realizada no dia 15 de novembro, às 9h, e o candidato deve acertar 70% do exame para aprovação.

Matéria completa em:

http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2015/10/campos-demite-mais-do-que-contrata-em-2015-e-busca-por-emprego-dispara.html

Fortes ventos no Rio de Janeiro

Ponte Rio-Niterói tem Operação Comboio e aumenta tempo de travessia

Carros da Ecoponte ajudam a conter a velocidade do veículos

O Dia 
       
Rio - A Ecoponte informou que está usando a Operação Comboio para reduzir a velocidade dos veículos na Ponte Rio-Niterói, por conta da velocidade dos ventos, desde as 15h30 desta quarta-feira. De acordo com a empresa que administra a ponte, os ventos chegaram a 80Km/h.

Na operação, carros de serviço da concessionária e guinchos ficam à frente do fluxo de veículos para reduzir a velocidade e evitar acidentes. Por volta das 15h50, o tempo de travessia da ponte era de 22 minutos em direção ao Rio e 27, no sentido Niterói. Normalmente, o tempo médio é de 13 minutos.

De acordo com o sistema Alerta Rio, a velocidade de vento máxima registrada nesta quarta-feira foi de 74 km/h no Campo dos Afonsos, por volta de 15h30. A fonte da medição é a Redemet, da Aeronáutica. Segundo informações do Climatempo, foram registrados ventos de mais de 70 km/h. Na base aérea do Campo dos Afonsos foram registrados ventos de 74  km/h. No Aeroporto Santos Dumont foram registrados ventos de 70 km/h e em Santa Cruz a ventania chegou a 61 km/h.

Trecho da Linha Amarela interditado

Segundo a Lamsa a saída 8 (para R. Leopoldo Bulhões, Bonsucesso), está fechada no sentido Fundão.Segundo a concessionária uma carreta enguiçada impede a passagem do trânsito. O trecho aprensenta retenção em Maria da Graça.

http://odia.ig.com.br/odia24horas/2015-10-21/ponte-rio-niteroi-tem-operacao-comboio-e-aumenta-tempo-de-travessia.html

Algumas imagens

Esta manhã, em Campos dos Goytacazes, área central da cidade:



RDC Sicoob

Seja associado do Sicoob Cred Rio Norte e desfrute de todas as vantagens que a maior cooperativa de crédito em cobertura geográfica do estado do Rio de Janeiro pode oferecer.

Em Campos:
Sede central - Rua Dr. Siqueira, 278 - Parque Dom Bosco
Campos dos Goytacazes - RJ CEP 28030-130
Tel.: (22)27262750 e Fax.: (22)27262752
Horário de Funcionamento: 10h00 às 16h00.


Investimento RDC - Sicoob.
 








2015/10/20

"Força tarefa" de Rosinha na SC pode ter desdobramentos

Leandro Manhães afirma que vai representar contra Rosinha



Rosinha estafe e marcelo lessa

A decisão da prefeita Rosinha que, junto com seu estafe, força policial e do promotor Marcelo Lessa, interviu na Santa Casa e decidiu reabri-la, com certeza terá desdobramentos.

Colega de Marcelo Lessa na Tutela Coletiva de Campos, o promotor Leandro Manhães disse ao blog Opiniões, de Aluysio Abreu Barbosa, que a atitude da prefeita Rosinha foi “arbitrária” e configura descumprimento da decisão judicial que decretou a intervenção na Santa Casa.“É uma intervenção da Prefeitura sobre uma intervenção da Justiça”, definiu. Ele disse que irá representar contra a prefeita por crime de desobediência e de improbidade administrativa. Este último, em caso de condenação, pode cassá-la do cargo.

— Tudo que nós queremos é que a Prefeitura acolha os doentes do município, que mais gente não morra num corredor de hospital por falta de atendimento. Se a prefeita quer assumir a Santa Casa, não haverá resistência, embora haja consequência jurídicas aos crimes de desobediência judicial e improbidade administrativa que entendo terem sido praticados. Mas o que interessa é saber se Prefeitura conseguirá atender os doentes assumindo diretamente a Santa Casa, provavelmente querendo usar como base a lei 8080 do SUS, no lugar de repassar os recursos federais que recebe para pagar o atendimento já prestado pelo hospital. Para tratar dos pacientes em novos leitos, terão que fornecer os remédios que a Santa Casa não pode comprar porque não tem dinheiro, terão que convencer seus profissionais com atrasos nos salários a trabalhar dobrado. Veremos — disse o promotor.

Já o promotor Marcelo Lessa disse ao repórter da Folha Marcus Pinheiro:

— Não tenho como comentar a opinião de um colega, mas não tenho que necessariamente concordar com ela. Na minha visão o que aconteceu aqui hoje foi um ato administrativo com o objetivo de garantir a continuidade de um serviço que é essencial. Se não fosse isso, eu não teria vindo. Mas toda opinião é digna de respeito.

http://www.fmanha.com.br/blogs/nacurvadorio/

Em Macaé prefeito decide abrir mão do salário


Foto: Gustavo Miranda (Foto de arquivo)
  
Para tentar amenizar a crise econômica, o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB), decidiu abrir mão de receber o salário de R$ 17 mil como chefe do executivo do executivo do município.
O moço entregou um ofício na Câmara, na manhã desta terça-feira (20), afirmando que, como médico, vai custear as despesas da família com os recursos do seu consultório.
Aluízio sabe que a medida não vai resolver os problemas da cidade, mas acredita ser uma forma de mostrar solidariedade com os demitidos por causa da crise.

"Tenho capacidade de arrecadar recursos com a medicina, como sempre fiz. De manhã estou no consultório e, depois, vou para prefeitura administrar a cidade. É uma forma de me posicionar e me solidarizar com os desempregados", afirmou o prefeito.
Dr. Aluízio espera que seu exemplo seja seguido e lançou o desafio para que o vice-prefeito e os vereadores façam o mesmo.
"Quem se propõe a estar no serviço público tem que se colocar no lugar do outro. Espero que revejam suas posições e reduzam seus salários. O desempregado não pode pagar a conta", finalizou.
Por enquanto, os desafiados ainda não se posicionaram... É esperar para ver.

http://extra.globo.com/noticias/extra-extra/prefeito-de-macae-abre-mao-do-proprio-salario-lanca-desafio-vice-vereadores-17824633.html

CPI da Petrobras: relator prepara pizza e inocenta Dilma, Lula e Gabrielli

Petista Luiz Sérgio afirma que faltam evidências para apontar indiciados por fraudes na estatal e usa relatório final para atacar investigadores da PF, MP e Justiça

O roteiro volta a se repetir no Congresso Nacional e mais uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) caminha para terminar com resultados inócuos. Apesar de todo o alarde em torno da sua criação, a CPI da Petrobras teve seu relatório final apresentado nesta segunda-feira sem indiciar nenhum novo nome ao Ministério Público ou tampouco ouvir os deputados envolvidos no escândalo de corrupção da petrolífera. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi o único a sentar na tribuna na condição de investigado. Mas compareceu ao colegiado por iniciativa própria e, agora, está com o mandato em xeque sob a suspeita de ter mentido sobre a existência de contas no exterior. Mesmo diante das evidências, Cunha também termina poupado.

Em sessão que por pouco não aconteceu por falta de quórum, o relator da comissão, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), apresentou o parecer final com um forte componente político. Ex-ministro do governo Dilma, o petista usou o documento de mais de 700 páginas para atacar as investigações da Lava Jato e para blindar, além de Dilma, o ex-presidente Lula e os ex-presidentes da Petrobras Graça Foster e José Sérgio Gabrielli - também vinculados ao PT.

O texto deve ser votado até quinta-feira, já que o cronograma prevê o encerramento dos trabalhos da CPI na sexta.

Em um discurso controverso, Luiz Sérgio afirmou que não há menções ou evidências do envolvimento desses nomes para comprometer a inocência deles. O que não é verdade. Em delação premiada ao Ministério Público, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que Gabrielli "tinha pleno conhecimento de todo o esquema de corrupção que se passava na Diretoria de Abastecimento da Petrobras". Também em depoimento de colaboração premiada, o doleiro Alberto Youssef disse que Lula e Dilma sabiam do assalto aos cofres da petrolífera.

Na mira do petrolão, Eduardo Cunha viu apenas argumentos de sua defesa retratados no parecer de Luiz Sérgio. O petista menciona delação do consultor Júlio Camargo, da Toyo Setal, em que afirma ele que o peemedebista pediu propina de 5 milhões de dólares, mas diz que ele omitiu tal informação durante meses, de modo a "ludibriar" o juiz federal Sergio Moro. A defesa de Cunha tenta anular a validade da delação de Camargo com o mesmo argumento.

Sobre a existência de contas secretas no exterior, em que já foram revelados documentos pessoais e a assinatura de Cunha, o petista argumenta que a CPI "não recebeu prova alguma dessas afirmações" e que não cabe a ele adotar providências com base em "acusações sem provas". O petista ignora as inforamções enviadas pelo MPF ao Supremo Tribunal Federal e a confirmação do procurador-geral da Repúblia, Rodrigo Janot, em ofício por escrito ao PSOL, de que Cunha possui contas secretas na Suíça. Luiz Sérgio transfere ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar a responsabilidade de avaliar se Cunha mentiu ao colegiado ao negar a existência das contas. O petista assumiu a relatoria da CPI após um acordo costurado entre ele e Hugo Motta (PMDB-PB), indicado por Cunha para presidir a comissão.

Apesar da extensa lista de parlamentares citados ou já sob investigação no Supremo, o relator não pediu o indiciamento de nenhum deputado ou senador em seu relatório final. Ele acatou, no entanto, sugestões de indiciamento feitas por sub-relatores - a maioria deles já está no escopo da Lava Jato. Entre os nomes alvos de pedido de indiciamento no relatório final da CPI estão os ex-diretores da Petrobras Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Renato Duque, os delatores Fernando Soares, o Fernando Baiano e Eduardo Musa e o doleiro Alberto Youssef.

Blindagem - Luiz Sérgio ainda atacou as investigações comandadas pelo Ministério Público, Polícia Federal e Justiça Federal. "É verdade que precisamos destacar a importância da Lava Jato no combate à corrupção, mas não podemos ser ingênuos a ponto de achar que tudo que foi feito até agora está dentro da estrita normalidade. É impossível acreditar que houve rígido controle e absoluta isenção em todas as etapas até agora", disse o petista. "Os investigadores da Lava Jato parecem escolher os seus alvos, dando sequência a determinadas apurações enquanto vazam outras." O deputado não conseguiu explicar, no entanto, porque a comissão na qual assumiu posto de comando está próxima de terminar sem apresentar um resultado efetivo.

A CPI da Petrobras foi instalada há quase oito meses com a promessa de se diferenciar dos dois colegiados instalados no ano passado - um acabou sem relatório e outro, composto por deputados e senadores, também livrou os principais envolvidos - e avançar nas investigações sobre o esquema bilionário que sangrou os cofres da principal estatal brasileira. Mas, com dezenas de parlamentares envolvidos no escândalo e aliados de outros políticos citados ocupando postos-chave no colegiado, a CPI deve acabar sem ouvir nenhum dos deputados citados nas investigações ou nomes de peso, como Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, ou Júlio Camargo, um dos delatores do esquema.

A condução da CPI já indicava este caminho. Grande parte das oitivas fracassou, porque os depoentes se recusaram, com aval da Justiça, a responder aos questionamentos dos parlamentares. A cena se repetiu principalmente com empreiteiros convocados. Como esperado, a comissão se prepara agora para chegar ao fim sem trazer à luz nenhum fato diferente do já constatado pelo Ministério Público ou pela Polícia Federal.

Por: Marcela Mattos, de Brasília
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/cpi-da-petrobras-relator-prepara-pizza-e-inocenta-dilma-lula-e-gabrielli

2015/10/19

Forte explosão deixa feridos e destrói vários imóveis na Zona Norte do Rio

Imagens mostram o local da explosão em São Cristóvão antes e depois da explosão (Foto: Reprodução/GoogleStreetView e GloboNews)


Uma forte explosão no bairro de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, destruiu imóveis comerciais e residenciais na madrugada desta segunda-feira (19). Ao menos 8 feridos foram retirados dos escombros. Ao todo, 40 imóveis foram afetados, segundo o subsecretário municipal de Defesa Civil, Márcio Motta. Entre eles estão dois restaurantes e uma farmácia, que seriam o foco da explosão. Bombeiros suspeitam de vazamento de gás. Ainda segundo a Defesa Civil do Rio, 14 imóveis foram totalmente destruídos após a explosão.


Dos 8 feridos retirados dos escombros, um foi atendido no local e liberado. Sete pessoas foram levadas ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio. Duas das vítimas chegaram desacordadas. Entre os feridos está uma criança de 9 anos. Às 9h10, quatro vítimas tinham sido liberadas do Souza Aguiar.

Segundo os bombeiros, as vítimas encaminhadas para o Hospital Souza Aguiar são Ana Q. Araújo, de 38 anos; Manoel L. Araújo, de 84 anos; Mauro L. Araújo, de 44 anos; Jair C. Silva, de 27 anos; Maria Márcia, de 28 anos, uma menina de 9 anos e Valdecir Galdino da Silva. Outra vítima, identificada como Carlos R. Tomás, de 22 anos, foi atendida e liberada no local.  O número de atendidos, entretanto, pode aumentar: até por volta das 8h, bombeiros conseguiam ouvir gritos de pedidos de socorro entre os escombros.

Veja mais em:
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/10/explosao-ocorre-em-predio-da-zona-norte-do-rio.html

2015/10/16

Cooperativa de crédito é opção de juros baratos

Com os juros bancários na estratosfera, girando em torno de 5% ao mês no crédito pessoal e de 14,6% no cheque especial, conforme a Fundação Ipead, o melhor mesmo é não se endividar. Com essas taxas, em 12 meses um empréstimo de R$ 10 mil se transforma em R$ 17,9 mil no crédito pessoal e em R$ 51,3 mil no especial. Endividar-se com essas taxas de juros é, literalmente, colocar a corda no pescoço. Mas há uma saída mais barata e pouco divulgada para muita gente que pode estar precisando de um empréstimo. Chama-se cooperativa de crédito, e está disponível em 1.133 instituições em todo o Brasil, conforme o Banco Central.

As cooperativas de crédito mais estruturadas atuam como bancos, oferecendo conta-corrente e poupança, aplicações, empréstimos pessoais, financiamento de veículos e imobiliário e um grande número de produtos. Como não são instituições financeiras tradicionais e não têm objetivo de distribuir lucro máximo para os acionistas, as cooperativas conseguem oferecer taxas de juros mais baratas aos cooperados. E muitas delas não cobram as famigeradas taxas de manutenção de conta.
 
O levantamento de juros da Fundação Ipead comprova a grande vantagem financeira oferecida pelas cooperativas. Na média, o empréstimo pessoal dessas entidades tem uma taxa mensal de juros de 2,35%. Assim, o mesmo empréstimo de R$ 10 mil, citado no início desta coluna, atingiria o valor de R$ 13,2 mil em 12 meses. Na comparação com o custo do crédito pessoal dos bancos, a economia proporcionada pelas cooperativas é de 59%.

Além do menor gasto com juros e taxas, as cooperativas ainda têm a vantagem de repartir os resultados do fim do ano com os cooperados. É como se fosse um banco que distribui os lucros para os clientes, que também são os donos da instituição.
 
Na prática, o cooperado é mesmo o dono. Isso porque essas entidades baseiam-se no princípio do associativismo. Para se tornar sócio, é preciso preencher os requisitos definidos no estatuto da entidade e fazer um aporte de capital – que será representado por cotas, como se fossem ações –, que não costuma ser muito alto.

É a titularidade da cota que dará direito à participação nos resultados e o acesso aos diversos produtos oferecidos pela cooperativa. O cooperado também tem direito de participar das assembleias gerais, que definem as diretrizes da entidade, de votar nas eleições de diretoria e ser votado.
 
Para quem pretende ingressar em uma cooperativa, é recomendável que se tenha uma atitude participativa. Afinal, já que a entidade vai receber seus depósitos bancários e emprestar o dinheiro a terceiros, nada mais natural do que acompanhar os atos da diretoria e os relatórios do conselho fiscal e dos auditores.

As cooperativas de crédito são reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central e oferecem praticamente a mesma segurança do sistema financeiro tradicional. Nelas, os depósitos são garantidos pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), que cobre até R$ 250 mil em caso de intervenção ou liquidação extrajudicial.
 
Por Rafael Sânzio, Hoje em Dia
http://cooperativismodecredito.coop.br/2015/10/cooperativa-de-credito-e-opcao-de-juros-baratos/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+CooperativasDeCreditoNoBrasilENoMundo+%28Portal+do+Cooperativismo+de+Cr%C3%A9dito%29


Em Campos dos Goytacazes:

Sicoob Cred Rio Norte
Agência central - Rua Dr. Siqueira, 278 - Parque Dom Bosco (em frente ao portão principal do IFFluminense)
Tel.: 22 27262750
www.sicoobcredrionorte.com.br


2015/10/15

Sicoob Cred Rio Norte e a Firjan


Atendendo a um convite da representação regional da Firjan, o consultor do Sicoob Cred Rio Norte, Neilton Ribeiro da Silva, participou na noite desta quarta-feira, 14 de outubro, da reunião dos conselheiros da instituição ligada ao setor industrial. 

Tendo sido recebido pelo presidente da Firjan/Campos, Fernando Aguiar, Neilton Silva fez uma explanação sobre as atividades da cooperativa de crédito na região, destacando as perspectivas de crescimento e desenvolvimento e as vantagens das pessoas jurídicas utilizarem a mecânica do cooperativismo, em relação ao sistema de bancos tradicionais. O Sicoob Cred Rio Norte é hoje a única cooperativa de crédito de livre admissão em atividade no estado do Rio de Janeiro. 

Da reunião, além dos conselheiros da representação regional da Firjan, com vários representantes de Macaé, participou Jorge Luiz Gomes, da Garantinorte, e empresários locais,

que tiveram a oportunidade de ouvir Neilton Silva falar sobre a próxima ação do Sicoob Cred Rio Norte - a incorporação de uma cooperativa de crédito de Mendes, da necessidade dos empresários e integrantes de vários segmentos se mobilizarem em torno do apoio do Sicoob/RJ, uma vez que a entidade representativa do Espírito Santo planeja investir na região, e sobre as linhas de crédito atualmente oferecidas, assim como a efetuação de todos os serviços bancários pela cooperativa, de forma muito mais atrativa, entre outros assuntos de interesse da classe.
 
 
 

 

 

2015/10/14

Comandante do Exército vê risco de crise social no país

“Estamos vivendo situação extremamente difícil, crítica, uma crise de natureza política, econômica, ética muito séria e com preocupação que, se ela prosseguir, poderá se transformar numa crise social com efeitos negativos sobre a estabilidade”, afirmou o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas; “E aí, nesse contexto, nós nos preocupamos porque passa a nos dizer respeito diretamente”, prosseguiu.

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirma ver risco de a atual crise virar uma “crise social” que afetaria a estabilidade do país, o que, segundo ele, diria respeito às Forças Armadas.

“Estamos vivendo situação extremamente difícil, crítica, uma crise de natureza política, econômica, ética muito séria e com preocupação que, se ela prosseguir, poderá se transformar numa crise social com efeitos negativos sobre a estabilidade”, afirmou. “E aí, nesse? contexto, nós nos preocupamos porque passa a nos dizer respeito diretamente”, prosseguiu.

Villas Bôas deu as declarações em inédita videoconferência na sexta (9) para 2.000 oficiais temporários da reserva, os R2.

Em nota sobre a declaração, a instituição citou artigo da Constituição que afirma que as Forças Armadas “destinam-se à defesa da pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”, sob autoridade presidencial.
FONTE: Brasil247

Veja a Folha de São Paulo:
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/10/1693642-comandante-do-exercito-ve-risco-de-crise-social-no-pais.shtml

2015/10/13

Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito – 15/10/2015



 
 
Mensagem ao Mundo
O tema do DICC de 2015 – Pessoas ajudando Pessoas – relembra a importância de ajudar o próximo, reforçando assim os valores da cooperação, destacando a força da união e a importância da intercooperação para o sistema.
Celebrando a base de todas as conquistas cooperativistas, a premissa “Pessoas ajudando Pessoas” se mostra mais do que um tema, representa uma ordem de força, um emblema dos nossos próprios princípios, a chave da nossa jornada e a fórmula do nosso sucesso.
A união no setor cooperativo financeiro tem se mostrado um princípio filosófico. Prova maior disso está na própria lógica seguida pelo mercado hoje em dia, baseada em encontrar soluções para a demanda do consumidor dentro das cooperativas de crédito, através da colaboração e da ajuda mútua.
Sendo assim, nada mais justo que celebrar o DICC com essa ênfase: a melhor maneira de fazer bons negócios para os consumidores e alcançar representatividade, respeito e desenvolvimento é por meio da união entre cooperativas de crédito, pessoas e sistemas.

http://cooperativismodecredito.coop.br/2015/09/dia-internacional-do-cooperativismo-de-credito-15102015/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+CooperativasDeCreditoNoBrasilENoMundo+%28Portal+do+Cooperativismo+de+Cr%C3%A9dito%29

2015/10/07

Fux rejeita pedido para suspender análise das contas de Dilma no TCU

Governo pediu o afastamento do relator do caso, ministro Augusto Nardes.
Augusto Nardes acusou Planalto de intimidação com tentativa de afastá-lo.


O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou nesta quarta-feira (7) o pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) para suspender o julgamento das contas de 2014 da presidente Dilma Rousseff no Tribunal de Contas da União (TCU). Os ministros da corte de fiscalização devem julgar as contas na tarde desta quarta.

Em ação protocolada nesta terça na Suprema Corte, o governo pedia que o julgamento fosse suspenso até que o TCU analisasse, antes das contas, um pedido de afastamento do relator do processo, ministro Augusto Nardes, acusado pelo Planalto de não demonstrar isenção e imparcialidade para estar à frente do caso.

Na decisão, Fux disse que, caso “constatado a posteriori qualquer ultraje ao devido processo legal”, a decisão poderá ser revista, como prevê a legislação brasileira.

Uma eventual desaprovação das contas no TCU pode levar o Congresso a rejeitar as contas, o que abre caminho para um processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Na última segunda, Nardes criticou o governo por tentar intimidá-lo e negou que tenha antecipado seu voto sobre as contas. "O governo está tentando intimidar a mim e ao Tribunal de Contas da União, mas não vamos nos acovardar [...] Realizamos um trabalho técnico de forma eficiente e coletiva na análise de contas", afirmou em nota.

O governo questiona a postura de Nardes por ter emitido opiniões antes do julgamento. Alega que o regimento interno do TCU e a lei orgânica da magistratura – aos quais os ministros do tribunal estão submetidos – proíbem os magistrados de emitir opinião sobre processos que estejam conduzindo.

'Pedaladas fiscais' O primeiro pedido de esclarecimentos sobre as contas de 2014 foi feito em junho pelo TCU, com prazo de 30 dias para resposta. Mas, devido à inclusão de novos fatos ao processo, o governo acabou ganhando mais tempo para se defender da suspeita de ter adotado manobras para aliviar, momentaneamente, as contas públicas.

Entre as supostas irregularidades analisadas pelo TCU estão as chamadas “pedaladas fiscais”, que consistem no atraso dos repasses para instituições financeiras do dinheiro de benefícios sociais e previdenciários. A manobra obrigou instituições como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil a usarem recursos próprios para honrar os compromissos, numa espécie de “empréstimo” ao governo.

O Executivo, porém, argumenta que não há irregularidades na prática e que o procedimento já foi realizado pelos governos anteriores, sem ter sido questionado pelo TCU. De acordo com o governo, a mesma justificativa vale para a edição de decretos que abriram créditos suplementares sem autorização prévia do Congresso Nacional – outro ponto questionado pela corte. As explicações entregues pela AGUx somam mais de 2 mil páginas.

http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/10/fux-nega-pedido-para-suspender-analise-de-contas-de-dilma-no-tcu.html

Inflação acelera para 0,54% em setembro e chega a 9,5% em 12 meses

A inflação em setembro ficou em 0,54%, o que representa uma ala percentual de 0,32 ponto percentual em relação a agosto, quando tinha sido de 0,22%. No acumulado em 12 meses, chega a 9,49%, estourando o limite máximo da meta do governo.

Em setembro de 2014, a inflação tinha sido de 0,57%.

No acumulado de 2015, a inflação ficou em 7,64%, acima dos 4,61% em igual período do ano passado e também acima do teto da meta do governo. É o maior valor registrado no acumulado de janeiro a setembro desde 2003, quando atingiu 8,05%.

A meta do governo é de manter a inflação em 4,5%, com tolerância de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, ou seja, entre 2,5% e 6,5%.

Os dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foram divulgados nesta quarta-feira (7) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Vilão da vez foi o botijão de gás

O vilão da alta de preços em setembro foi o botijão de gás, importante na despesa das famílias, que respondeu por cerca de um quarto do índice.

O gás para uso residencial ficou 12,98% mais caro nos pontos de distribuição para o consumidor, percentual inferior ao reajuste de 15% autorizado pela Petrobras nas refinarias, com vigência a partir de 1º de setembro.

Em algumas regiões pesquisadas o preço do produto aumentou bem menos do que o reajuste concedido pela Petrobras, de 15%. Por exemplo, no Rio de Janeiro, a alta ficou em 9,49%.

Em outras, porém, o preço superou em muito o reajuste. É o caso de Vitória, onde atingiu 20,08%; em Goiânia, foi de 19,68%; e em Brasília, onde atingiu 19,23%.

Cebola fica 19% mais barata no mês

A cebola, que já figurou entre as maiores altas de preço neste ano, ficou 18,85% mais barata de agosto para setembro. Mesmo assim, a cebola acumula alta de 89,95% de janeiro a setembro e de 76,68% em 12 meses.

Outro antigo vilão, o tomate também ficou mais barato no último mês: queda de 13,86% no preço. No acumulado deste ano, ainda mantém avanço de 5,99% e, em 12 meses, de 12,84%.

Por outro lado, a batata-inglesa subiu 7,26% de agosto para setembro. De janeiro a setembro, a alta é de 13,93%; e 12 meses, de 69,1%.

No geral, os alimentos consumidos em casa tiveram leve queda, de 0,05%. Já os consumidos fora de casa subiram 0,77%.

Curitiba, Goiânia e Porto Alegre: inflação passa de 10% em 12 meses

Em três capitais brasileiras, a inflação acumulada em 12 meses supera os 10%. Em Curitiba, chega a 11,12%. Em Goiânia, a 10,74%. E em Porto Alegre, a 10,51%.

Já Vitória, Salvador e Belém registram a menor alta de preços nos últimos 12 meses: 8,1%, 8,13% e 8,13%, respectivamente.

Inflação e juros

A inflação alta tem sido uma das principais dores de cabeça para o Banco Central nos últimos anos.
A taxa de juros é um dos instrumentos mais básicos para controle da alta de preços.

Quando os juros sobem, as pessoas tendem a gastar menos e isso faz o preço das mercadorias cair (obedecendo à lei da oferta e procura), o que, em tese, controlaria a inflação.

Na última reunião, o BC manteve a taxa básica de juros, a Selic, em 14,25%, interrompendo uma sequência de sete altas. 
 
Essa taxa de juros é a mais alta desde agosto de 2006, quando ela também estava em 14,25%.

http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/10/07/inflacao-acelera-para-054-em-setembro-e-chega-a-95-em-12-meses.htm
(Com Reuters)

O que a internet permite

Mais de 11 mil imagens de arquivo das missões Apollo foram disponibilizadas na web, em uma página do Flickr. As fotos históricas de todas as missões tripuladas realizadas entre 1961 e 1972 foram escaneadas e postadas online em um projeto que já dura 15 anos. Em entrevista à BBC, Kipp Teague, fundador do Project Apollo Archive, disse que "grandes cortes de orçamento" levaram a agência espacial americana a admitir que não tinha os recursos para publicar esse acervo. Então, Teague resolveu publicar as fotos online. Nasa/Project Apollo ArchiveLeia mais em: http://zip.net/bkr72h
Bol.

Acesse:

https://www.flickr.com/photos/projectapolloarchive/

Só em Campos mesmo

Quanto à "Cidade da Criança", cada um tem a Disney que a gestão oferece. Agora fica faltando aparecer o Tio Patinhas, o Pateta, o Mancha Negra, o Gastão, Huguinho, Zezinho e Luizinho, a Margarida, os Irmãos Metralha e por aí vai...  

2015/10/06

Maioria dos ministros do TSE vota pelo prosseguimento de ação que pede cassação de Dilma e Temer

Assista ao vídeo do julgamento.

A maioria dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) votou, na noite desta terça-feira (25), favoravelmente ao prosseguimento da Ação de Investigação de Mandato Eletivo (AIME) 761, proposta pela Coligação Muda Brasil – que teve o candidato Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República nas eleições de 2014 –, contra a Coligação Com a Força do Povo, da candidata Dilma Rousseff, além do vice-presidente Michel Temer e do próprio Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). O julgamento, porém, não terminou.

Após o voto-vista do ministro Luiz Fux pelo prosseguimento da ação, propondo a concentração em um só processo de todas as ações em trâmite na Corte com o mesmo objetivo, a ministra Luciana Lóssio pediu vista dos autos.

De acordo com o ministro Luiz Fux, “não é interessante para a Justiça Eleitoral a existência de múltiplos processos, cada um julgado em um momento". "A reunião de todos esses processos é salutar e tenho procurado fazer isso nesta Corte, para evitar decisões conflitantes”, destacou o ministro.

Até o momento, votaram pelo prosseguimento da AIME os ministros João Otávio de Noronha, Gilmar Mendes, Henrique Neves e Luiz Fux. O julgamento será retomado com o voto-vista da ministra Luciana Lóssio.

Pedido

O PSDB afirma, na AIME, que durante a campanha eleitoral de 2014 houve: abuso de poder político de Dilma pela prática de desvio de finalidade na convocação de rede nacional de emissoras de radiodifusão; manipulação na divulgação de indicadores socioeconômicos – abuso cumulado com perpetração de fraude; uso indevido de prédios e equipamentos públicos para a realização de atos próprios de campanha e veiculação de publicidade institucional em período vedado.

Sustenta, ainda, que ocorreu abuso de poder econômico e fraude, com a realização de gastos de campanha em valor que extrapola o limite informado; financiamento de campanha mediante doações oficiais de empreiteiras contratadas pela Petrobras como parte da distribuição de propinas; massiva propaganda eleitoral levada a efeito por meio de recursos geridos por entidades sindicais; transporte de eleitores por meio de organização supostamente não governamental que recebe verba pública para participação em comício na cidade de Petrolina (PE); uso indevido de meios de comunicação social consistente na utilização do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão para veicular mentiras; despesas irregulares – falta de comprovantes idôneos de significativa parcela das despesas efetuadas na campanha – e fraude na disseminação de falsas informações a respeito da extinção de programas sociais.

A legenda alega que os fatos analisados em seu conjunto dão a exata dimensão do comprometimento da normalidade e legitimidade do pleito presidencial de 2014. Argumenta, ainda, que mesmo as questões que, isoladamente, não sejam consideradas suficientes para comprometer a lisura do pleito, devem ser analisadas conjuntamente entre si.

O PSDB também pede: a requisição, a diversas entidades sindicais, dos montantes gastos com publicidade no período de campanha eleitoral; ao cerimonial do Palácio da Alvorada, a relação dos eventos ali realizados durante o período da campanha eleitoral, bem como das pessoas que deles participaram; de gastos realizados pela Associação Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA Brasil) com transporte e alimentação de agricultores para participar do evento de Dilma Rousseff nas cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA); à Presidência da República, a relação dos valores repassados direta ou indiretamente (inclusive às associações vinculadas) à ASA Brasil; cópia dos inquéritos policiais que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF) e na Justiça Federal - 13ª Vara Criminal da Seção Judiciária do Paraná a respeito da "Operação Lava Jato"; a realização de exame pericial na empresa Focal Confecção e Comunicação Visual Ltda., com a finalidade de se apurar a efetiva destinação dos recursos advindos da campanha de Dilma; a solicitação de informações à empresa de telefonia celular Oi Móvel S.A. a respeito de quem fazia uso de determinada linha telefônica no período de campanha e se esse mesmo usuário possuía outras linhas e quantas mensagens foram por eles enviadas no período eleitoral; a inquirição em juízo, como testemunhas, das pessoas de Paulo Roberto da Costa, Alberto Yousseff, Herton Araújo e o usuário da linha telefônica.

Por fim, a Coligação Muda Brasil pede a cassação dos mandatos de Dilma Rousseff e Michel Temer.
Julgamento

A relatora da ação, ministra Maria Thereza de Assis Moura, em decisão individual proferida no início de fevereiro deste ano, negou seguimento à AIME, alegando fragilidade no conjunto de provas. Ao levar o caso para julgamento do Plenário em 19 de março deste ano, o ministro Gilmar Mendes pediu vista e, na sessão do dia 13 de agosto, foi a vez de o ministro Luiz Fux também pedir vista do agravo ajuizado na ação.

Antes, porém, o ministro Gilmar Mendes deu provimento ao recurso apresentado por Aécio Neves e pela Coligação Muda Brasil para dar início à tramitação da AIME. O ministro João Otávio de Noronha antecipou o voto e acompanhou a divergência aberta por Mendes.

Ao votar, Gilmar Mendes afirmou que “nem precisa grande raciocínio jurídico para concluir que a aludida conduta pode, em tese, qualificar-se como abuso do poder econômico, causa de pedir da ação de impugnação de mandato eletivo”. Disse ainda verificar que existe, no caso, “suporte de provas que justifica a instrução processual da ação de impugnação de mandato eletivo quanto ao suposto abuso do poder econômico decorrente do financiamento de campanha com dinheiro oriundo de corrupção/propina”.

O ministro destacou ainda que “os delatores no processo da Lava-Jato têm confirmado o depoimento de Paulo Roberto da Costa no sentido de que parte do dinheiro ou era utilizada em campanha eleitoral ou para pagamento de propina”.

Lembrou que o delator Pedro Barusco teria dito que o Partido dos Trabalhadores recebeu entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões entre 2003 e 2013, “dinheiro oriundo de propina, e que, possivelmente, foi utilizado, pelo menos em parte, na campanha presidencial de 2014”.

O ministro afirmou que o que se busca é “verificar se, de fato, recursos provenientes de corrupção na Petrobras foram ou não repassados para a campanha presidencial, considerando que o depoimento do diretor da companhia, Paulo Roberto da Costa, pelo menos em uma primeira análise, revela um viés eleitoral da conduta, pois desnecessário qualquer esforço jurídico-hermenêutico para concluir que recursos doados a partido, provenientes, contudo, de corrupção, são derramados nas disputas eleitorais, mormente naquela que exige maior aporte financeiro, como a disputa presidencial”.

Confira a íntegra do voto-vista do ministro Gilmar Mendes na sessão do dia 13 de agosto.
BB/LC
Processo relacionado: AIME 761

http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2015/Agosto/tse-decide-dar-prosseguimento-a-acao-que-pede-impugnacao-de-dilma-e-temer

Sicoob de portas abertas na greve dos bancários

O Sicoob Cred Rio Norte, cooperativa de crédito com sede central em Campos dos Goytacazes e atuação regional,  dá mais uma demonstração do grande número de vantagens que os cooperados levam em relação aos bancos tradicionais - com a greve dos bancários, iniciada hoje, o Sicoob continua de portas abertas para os seus associados, com todos os serviços funcionando normalmente, dentro do padrão de qualidade de atendimento que é uma de suas marcas.

Quem não é cooperado também pode se beneficiar do funcionamento da cooperativa, para a realização das seguintes operações: pagamento de boletos do Sicoob; depósitos em contas do Sicoob; recebimento de cheques do Sicoob; uso de produtos do Sicoob.

Em Campos dos Goytacazes:
Rua Dr. Siqueira, 278 - Parque Dom Bosco
Campos dos Goytacazes - RJ CEP 28030-130
Tel.: (22)27262750 e Fax.: (22)27262752

Morro do Coco: Rua Nilo Peçanha, 203.
12.º Distrito de Campos dos Goytacazes.
Telefone: (22) 2721-5398
Horário de atendimento: das 10 às 15 horas.


Visite:
www.sicoobcredrionorte.com.br



2015/10/05

"Governo tenta me intimidar", diz relator do TCU

'Não vamos nos acovardar', diz Nardes sobre pedido de afastamento

Governo entregou ao TCU pedido para afastar relator das 'pedaladas'.
Nardes nega irregularidade e diz que pedido será analisado na quarta-feira.

O relator do processo que analisa as contas do governo federal de 2014 no Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, afirmou nesta segunda-feira (5) que “não irá se acovardar” diante do pedido do Executivo para que ele seja afastado do caso. A solicitação foi protocolada no final da tarde pelo ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, Luís Inácio Adams. 

“O governo está tentando intimidar a mim e ao Tribunal de Contas da União mas não vamos nos acovardar. Realizamos um trabalho técnico de forma eficiente e coletiva na análise das contas”, declarou Nardes, em nota divulgada à imprensa.

Pedido será avaliado na quarta-feira

 O pedido do governo foi avaliado em uma reunião entre o presidente do TCU e os outros ministros. Ao deixar o encontro, Nardes afirmou que o julgamento das contas está mantido para quarta-feira (7), logo após a avaliação do pedido do governo, no mesmo dia.

O presidente do TCU, Aroldo Cedraz, encaminhou cópia do pedido do Executivo para o corregedor, ministro Raimundo Carreiro, e para o relator da matéria. “Conversamos com o presidente e ele vai encaminhar o que o [ministro Luís Inácio] Adams encaminhou e nós devemos fazer uma preliminar e na quarta-feira mesmo devemos decidir a questão”, disse Nardes.

O ministro ainda afirmou que o governo tenta “tirar o foco” da questão. “Nós entendemos que algumas alegações levantadas é muito mais para tirar o foco da questão principal. Nós estamos tranquilos porque cumprimos toda a regulamentação estabelecida do Regimento Interno do Tribunal de Contas da União e devemos votar com todo o equilíbrio e toda a tranquilidade a matéria”, afirmou.

O relator voltou a dizer que repudia a postura do governo e que não houve antecipação de voto, como argumenta o Executivo. Já Adams deixou o tribunal sem falar com a imprensa.

“Não antecipei meu voto em momento algum e nem divulguei o relatório e voto relativo ao julgamento das contas de 2014 para a imprensa. O que fiz foi cumprir o que determina o Regimento Interno do TCU que exige que uma minuta do parecer prévio e do relatório sejam disponibilizados aos demais ministros da Casa até cinco dias antes da sessão de julgamento”, acrescentou Nardes.

O ministro disse ainda que não foi “o responsável por dar publicidade” às informações. “Essa divulgação não foi feita pelo meu gabinete”, garantiu.

Pedido de afastamento
O pedido de afastamento do ministro Augusto Nardes da relatoria do caso foi anunciado no domingo (4), em entrevista coletiva concedida por Adams e os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Nelson Barbosa (Planejamento). Para o Executivo, Nardes cometeu irregularidade ao manifestar opinião e antecipar publicamente o voto que deverá apresentar na sessão de julgamento das contas, marcada para quarta-feira (7).

Segundo o ministro-chefe da AGU, o regimento interno do TCU e a lei orgânica da magistratura – as quais os ministros do tribunal estão submetidos – proíbem os magistrados de emitir opinião sobre processos que estejam conduzindo.

As contas da presidente da República só poderão ser apreciadas depois que a Corte analisar a solicitação de afastamento. O pedido deverá ser encaminhado ao corregedor do tribunal, para que ele opine se o relator deve ou não ser considerado suspeito para analisar as contas.
Depois, o parecer do corregedor será levado ao plenário da Corte de fiscalização, que deverá analisar o caso antes do julgamento do relatório.

‘Pedaladas fiscais’
O primeiro pedido de esclarecimentos sobre as contas de 2014 foi feito em junho pelo TCU, com prazo de 30 dias para resposta. Mas, devido à inclusão de novos fatos ao processo, o governo acabou ganhando mais tempo para se defender da suspeita de ter adotado manobras para aliviar, momentaneamente, as contas públicas.

Entre as supostas irregularidades analisadas pelo TCU estão as chamadas “pedaladas fiscais”, que consistem no atraso dos repasses para instituições financeiras do dinheiro de benefícios sociais e previdenciários. A manobra obrigou instituições como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil a usar recursos próprios para honrar os compromissos, numa espécie de “empréstimo” ao governo.

O Executivo, porém, argumenta que não há irregularidades na prática e que o procedimento já foi realizado pelos governos anteriores, sem ter sido questionado pelo TCU. De acordo com o governo, a mesma justificativa vale para a edição de decretos que abriram créditos suplementares sem autorização prévia do Congresso Nacional – outro ponto questionado pela corte. As explicações entregues pela AGU somam mais de 2 mil páginas.

Congresso Nacional Depois de o TCU decidir se recomenda a reprovação ou aprovação das contas de Dilma, o parecer tem de ser encaminhado ao Congresso Nacional, que terá a palavra final sobre o caso.
Uma eventual recomendação de rejeição das contas pelo TCU seria inédita, já que a corte nunca votou pela reprovação.

O trâmite prevê que o relatório do órgão de fiscalização seja primeiro avaliado pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso e, depois, pelo plenário da Câmara e do Senado – ou em sessão conjunta do Congresso Nacional, caso haja um acordo entre as Casas.

Mesmo que o TCU vote pela rejeição das contas, os parlamentares têm dois caminhos a seguir: podem optar por acolher a sugestão da corte e reprovar as contas ou votar pela aprovação delas.
Se as contas do governo forem realmente rejeitadas nessas votações, isso poderá ser usado como argumento para abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, sob o argumento de que ela feriu a Lei Orçamentária e, portanto, cometeu crime de responsabilidade.

Outro cenário possível caso o TCU rejeite as contas é a aprovação do balanço pelo Congresso.

Apesar de pouco provável, a decisão é possível, já que a última palavra é do Congresso. Neste caso, a tendência é que as contas sejam aprovadas com ressalvas. Na prática, as ressalvas não implicam punições significativas. Elas indicam, apenas, que há problemas a serem corrigidos na gestão fiscal para o próximo ano.

Veja a íntegra da nota divulgada nesta segunda (5) pelo ministro Augusto Nardes:

NÃO VAMOS NOS ACOVARDAR
AFIRMA O MINISTRO NARDES


O Ministro do Tribunal de Contas da União João Augusto Ribeiro Nardes, relator do processo de apreciação das Contas de Governo do exercício de 2014 repudiou veementemente as declarações dos Ministros Luís Inácio Adams (Advocacia-Geral da União) e José Eduardo Cardozo (Justiça) de que o Governo Federal irá pedir o seu afastamento da relatoria e do julgamento do processo que analisa as contas do ano passado da presidente Dilma Rousseff com base na lei orgânica da magistratura que diz que os magistrados estão proibidos de emitir opinião sobre processos que estão conduzindo.

“O Governo está tentando intimidar a mim e ao Tribunal de Contas da União mas não vamos nos acovardar”, afirmou o Ministro Nardes. “Realizamos um trabalho técnico de forma eficiente e coletiva na análise das contas”, justificou.


 Diante das acusações de que teria antecipado seu voto publicamente através de entrevistas à imprensa, Nardes negou categoricamente que o tivesse feito: “não antecipei meu voto em momento algum e nem divulguei o relatório e voto relativo ao julgamento das contas de 2014 para a imprensa”, disse. “O que fiz foi cumprir o que determina o Regimento Interno do TCU que exige que uma minuta do parecer prévio e do relatório sejam disponibilizados aos demais Ministros da Casa até cinco dias antes da sessão de julgamento, marcada para o próximo dia 07 de outubro às 17 horas”, explica o Ministro. “Não fui o responsável por dar publicidade à essas informações. Essa divulgação não foi feita pelo meu gabinete” assegurou o relator.



http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/10/nao-vamos-nos-acovardar-diz-nardes-sobre-pedido-de-afastamento.html

Economistas pioram projeção do PIB, para -2,85%, e da inflação, para 9,53%

As projeções de analistas para o PIB (Produto Interno Bruto) e para a inflação no Brasil em 2015 pioraram, de acordo com levantamento divulgado nesta segunda-feira (5) pelo Banco Central (BC).

A expectativa é de que o PIB registre resultado de -2,85%. Essa foi a 12ª piora consecutiva na estimativa. Na semana anterior, a projeção era de -2,80%.

Para a inflação, a expectativa é de que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) fique em 9,53% em 2015, a terceira alta seguida. A previsão anterior era de 9,46%.

A estimativa fica muito acima do limite máximo da meta do governo. O objetivo é controlar a alta dos preços em 4,5% ao ano, mas com tolerância de dois pontos para mais ou menos (ou seja, variando de 2,5% a 6,5%).

Para o dólar, a estimativa subiu de R$ 3,95, na semana passada, para R$ 4. Para a Selic, a taxa básica de juros, a previsão, de 14,25% foi mantida.

Projeções para 2016

Ao final do próximo ano, os analistas consultados pelo BC projetam que a inflação esteja em 5,94%, contra 5,87% na semana anterior. A previsão para o PIB foi mantida em -1% para 2016.
A previsão para o dólar ao final do próximo ano também foi mantida em R$ 4.

Entenda o que é o boletim Focus

Toda segunda-feira, o BC divulga um relatório de mercado conhecido como Boletim Focus, trazendo as apostas de economistas para os principais indicadores econômicos do país.

Mais de 100 instituições são ouvidas e, excluindo os valores extremos, o BC calcula uma mediana das perspectivas do crescimento da economia (medido pelo Produto Interno Bruto, o PIB), perspectivas para a inflação e a taxa de câmbio, entre outros.

Mediana apresenta o valor central de uma amostra de dados, desprezando os menores e os maiores valores.

http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/10/05/economistas-pioram-projecao-do-pib-para--285-e-de-inflacao-para-953.htm

(Com Reuters e Agência Brasil)

2015/10/03

Futebol de mesa neste sábado no Aryzão

A equipe de futebol de mesa do Goytacaz F.C. convida para  um torneio amistoso de futebol de botão que será realizado neste sábado (03/10/15) no salão de festas do estádio Ary de Oliveira e Souza (Aryzão), estádio do Goytacaz F.C.

O evento ocorrerá das 14h às 16h e contamos com a presença de todos!

Às 16h teremos o jogo entre as categorias de base de Goytacaz x Botafogo. Será o jogo de entrega das faixas à equipe do Goyta, campeã estadual da categoria. Sintam-se convidados também para assistir a partida!

Saudações,
Equipe de Futebol de Mesa do Goytacaz F.C.
www.facebook.com.br/goytacazfutmesa


OAB apoia projeto de Aécio contra ‘dízimos’ de comissionados

BRASÍLIA - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcos Vinicius Furtado Coelho, encaminhou nota ao presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), para comunicar que a entidade recebeu com grande entusiasmo e irá apoia o projeto de sua autoria que visa impedir aos ocupantes de cargos comissionados que façam doações a partidos e candidatos no período eleitoral, com os chamados “dízimos” Segundo Marcus Vinicius, a medida está de acordo com o sentimento da população, que não deseja mais a influência do poder econômico e político nas disputas eleitorais.

No comunicado, o presidente da OAB anuncia ainda que, dentro das discussões sobre financiamento de campanhas, no próximo dia 22 a entidade irá lançará uma mobilização nacional para criminalizar o Caixa 2 e conscientizar os eleitores a não votar em candidatos que utilizarem tal expediente.

“Assim como deve ser proibida a doações de empresas, que podem se beneficiar de contratos com o poder público, também é certo proibir a doação de quem ocupa cargos em comissão. A lógica é a mesma. A política é uma profissão de fé, mas não se pode permitir a existência de um “dízimo” que drene recursos públicos e desvie verbas para engordar o caixa dos partidos e candidatos, favorecendo prioritariamente aqueles que detém o controle da máquina pública”, diz a nota da OAB.

O presidente da OAB defende que as nomeações no setor público devem ser feitas com base na necessidade do Estado e na aptidão técnica dos escolhidos. E o projeto do PSDB, afirma, vai na direção da moralização dos gastos públicos e dos gastos de campanha.

“A OAB entende que as campanhas eleitorais devem ser barateadas. Não deve haver mais despesas milionárias e eleições hollywoodianas. Debates de ideias e propostas, serviços prestados a comunidade e bom conceito na sociedade devem ser a tônica da escolha dos eleitores. Após os escândalos de corrupção, a população não mais votará em candidato que fizer campanha rica”, completa a nota.
 
Matéria completa em:

2015/10/02

Bancários do Rio de Janeiro aprovam greve a partir do dia 6

Sindicato rejeita a proposta da Fenaban, de 5,5% de reajuste para salários e benefícios, e pedem 16%

Rio - Bancários do Rio de Janeiro decidiram em assembleia greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira. O sindicato rejeitou a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), de 5,5% de reajuste para salários e benefícios e pedem 16%, com piso de R$ 3.299,66. Os sindicalistas alegam que o índice está muito abaixo da inflação, que ficou em 9,88%.
Segundo a presidenta do sindicato, Adriana Da Silva Nalesso, a paralisação vai durar até que a reivindicação da categoria seja aceita. “A proposta chega a ser desrespeitosa. Eles lucraram mais de R$ 37 bilhões no primeiro semestre”. Vários estados também aderiram ao movimento.

http://odia.ig.com.br/noticia/economia/2015-10-02/bancarios-do-rio-de-janeiro-aprovam-greve-a-partir-do-dia-6.html
c/ed.

2015/10/01

Mais encrenca II

Documentos apontam que MP editada na gestão Lula foi 'comprada' por lobby

Documentos obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo indicam que uma medida provisória editada em 2009 pelo governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria sido "comprada" por meio de lobby e de corrupção para favorecer montadoras de veículos.
 
Empresas do setor negociaram pagamentos de até R$ 36 milhões a lobistas para conseguir do Executivo um "ato normativo" que prorrogasse incentivos fiscais de R$ 1,3 bilhão por ano. Mensagens trocadas entre os envolvidos mencionam a oferta de propina a agentes públicos para viabilizar o texto, em vigor até o fim deste ano.

Para ser publicada, a MP passou pelo crivo da presidente Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil. Anotações de um dos envolvidos no esquema descrevem também uma reunião com o então ministro Gilberto Carvalho para tratar da norma, quatro dias antes de o texto ser editado. Um dos escritórios que atuaram para viabilizar a medida fez repasses de R$ 2,4 milhões a um filho do ex-presidente Lula, o empresário Luís Cláudio Lula da Silva, em 2011, ano em que a MP entrou em vigor.

O roteiro para influenciar as políticas de desoneração do governo e emplacar a MP é descrito em contratos de lobby pactuados antes da edição da norma. Conforme os documentos, a MMC Automotores, subsidiária da Mitsubishi no Brasil, e o Grupo CAOA (fabricante de veículos Hyundai e revendedora das marcas Ford, Hyundai e Subaru) pagariam honorários a um "consórcio" formado pelos escritórios SGR Consultoria Empresarial, do advogado José Ricardo da Silva, e Marcondes & Mautoni Empreendimentos, do empresário Mauro Marcondes Machado, para obter a extensão das benesses fiscais por ao menos cinco anos. Os incentivos expirariam em 31 de dezembro de 2010, caso não fossem prorrogados.

IPI

Os contratos obtidos pela reportagem datam de 11 e 19 de novembro de 2009. No dia 20 daquele mês, o ex-presidente Lula assinou a MP 471, esticando de 2011 até 2015 a política de descontos no IPI de carros produzidos nas três regiões (Norte, Nordeste e Centro-Oeste). À época, a Ford tinha uma fábrica na Bahia e CAOA e Mitsubishi fábricas em Goiás. A norma corresponde ao que era pleiteado nos documentos. Em março do ano seguinte, o Congresso aprovou o texto, convertendo-o na Lei 12.218/2010. Suspeitas de corrupção para viabilizar a medida provisória surgiram em e-mails trocados por envolvidos no caso.

Uma das mensagens, de 15 de outubro de 2010, diz que houve "acordo para aprovação da MP 471" e que Mauro Marcondes pactuou a entrega de R$ 4 milhões a "pessoas do governo, PT", mas faltou com o compromisso. Além disso, o texto sugere a participação de "deputados e senadores" nas negociações. Não há, no entanto, menção a nomes dos agentes públicos supostamente envolvidos.

Acordo

O e-mail diz que a negociação costurada por representantes das empresas de lobby viabilizou a MP 471. O remetente - que se identifica como "Raimundo Lima", mas cujo verdadeiro nome é mantido sob sigilo - pede que o sócio-fundador da MMC no Brasil, Eduardo Sousa Ramos, interceda junto à CAOA para que ela retome pagamentos.

Diferentemente da representante da Mitsubishi no Brasil, a CAOA teria participado do acerto, mas recuado na hora de fazer pagamentos. Um dos lobistas não teria repassado dinheiro a outros envolvidos. "Este (Mauro Marcondes Machado) vem desviando recursos, os quais não vêm chegando às pessoas devidas (...) Comunico ao senhor do acordo fechado para a aprovação da MP 471, valor este do seu conhecimento. (...) o sr. Mauro Marcondes alega ter entregado a pessoas do atual governo, PT, a quantia de R$ 4 milhões, o qual (sic) não é verdade", alega.
 
A mensagem, intitulada "Eduardo Sousa Ramos (confidencial)" foi enviada às 16h54 por "Raimundo" à secretária do executivo da MMC, Lilian Pina, que a repassou a Marcondes meia hora depois. O remetente escreve que, se o dinheiro não fluísse, poderia expor um dossiê e gravações com detalhes das tratativas. "A forma de denúncia a ser utilizada serão as gravações pelas vezes em que estive com Mauro Marcondes, Carlos Alberto e Anuar", avisa, referindo-se a empresários da CAOA.

"Dou até o dia 21 para que me seja repassada a quantia de US$ 1,5 milhão", ameaça.

Os dois escritórios de consultoria confirmam ter atuado para emplacar a MP 471, mas negam que o trabalho envolvesse lobby ou pagamento de propina.

Ambos são investigados por atuar para as montadoras no esquema de corrupção no Carf. A MMC e a CAOA informam ter contratado a Marcondes & Mautoni, mas negam que o objetivo fosse a "compra" da Medida Provisória. Dono da SGR, José Ricardo era parceiro de negócios do lobista Alexandre Paes dos Santos, ligado à advogada Erenice Guerra, secretária executiva de Dilma na Casa Civil quando a MP foi discutida. Marcondes é vice-presidente da Anfavea, na qual representa a MMC e a CAOA.

https://br.noticias.yahoo.com/documentos-apontam-mp-editada-gest%C3%A3o-lula-foi-comprada-102700152.html