2008/07/31

Agenda


by Folha da Manhã

Transporte



Rua "Barão de Cotegipe", em frente ao Campos Shopping, ontem, por volta das 18h10m...

Em Campos, começa a se tornar realmente preocupante a questão do transporte urbano clandestino. Vans disputam com carros de passeio dos mais variados tipos e Kombis locais de estacionamento na área central da cidade, ao mesmo tempo em que disputam incautos passageiros. Faltam conforto, segurança e organização. Alguns pontos do centro já foram divididos pelos exploradores por setores...

Ainda há tempo para um choque de legalização e planejamento para o futuro, obviamente a partir do crescimento da cidade e do número de veículos nas ruas.

2008/07/29

Padre Carli


DNA confirma que corpo encontrado é de padre voador, diz polícia do RJ
29/07 - 19:24 , atualizada às 20:16 29/07 - Redação com Agência Brasil

Último segundo Ig


RIO DE JANEIRO - A Delegacia de Polícia de Macaé, no norte fluminense, confirmou nesta terça-feira que os restos mortais encontrados no mar, a alguns quilômetros da costa do estado do Rio de Janeiro, no início do mês, são do padre Adelir de Carli.
Podemos fazer um enterro digno, diz irmão de Adelir

O padre, de 41 anos, havia saído do Paraná, no dia 20 de abril. Seu objetivo era voar, preso a balões, até o Mato Grosso do Sul, mas desapareceu dois dias depois.
A confirmação da identidade foi obtida por meio de um exame de DNA, feito pelo Instituto Médico Legal de Macaé.

ANJ

Declaração de Chapultepec
by Associação Nacional de Jornais

A Declaração de Chapultepec é uma carta de princípios e coloca “uma imprensa livre como uma condição fundamental para que as sociedades resolvam os seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam a sua liberdade. Não deve existir nenhuma lei ou ato de poder que restrinja a liberdade de expressão ou de imprensa, seja qual for o meio de comunicação”. O documento foi adotado pela Conferência Hemisférica sobre liberdade de Expressão realizada em Chapultepec, na cidade do México, em 11 de março de 1994. Ela não é um documento de governo, como são os acordos internacionais. Trata-se de uma carta de princípios assinada por chefes de estado, juristas e entidades ou cidadãos comuns. O compromisso foi assumido pelo Brasil quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso assinou a declaração em 9 de Agosto de 1996. o presidente Luis Inácio Lula da Silva deu continuidade ao trabalho renovando o compromisso no dia 03 de Maio de 2006.
Uma imprensa livre é condição fundamental para que as sociedades resolvam seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam sua liberdade. Não deve existir nenhuma lei ou ato de poder que restrinja a liberdade de expressão ou de imprensa, seja qual for o meio de comunicação. Porque temos consciência dessa realidade e a sentimos com profunda convicção, firmemente comprometidos com a liberdade, subscrevemos esta declaração com os seguintes princípios:

I – Não há pessoas nem sociedades livres sem liberdade de expressão e de imprensa. O exercício dessa não é uma concessão das autoridades, é um direito inalienável do povo.
II – Toda pessoa tem o direito de buscar e receber informação, expressar opiniões e divulgá-las livremente. Ninguém pode restringir ou negar esses direitos.
III – As autoridades devem estar legalmente obrigadas a pôr à disposição dos cidadãos, de forma oportuna e eqüitativa, a informação gerada pelo setor público. Nenhum jornalista poderá ser compelido a revelar suas fontes de informação.
IV – O assassinato, o terrorismo, o seqüestro, as pressões, a intimidação, a prisão injusta dos jornalistas, a destruição material dos meios de comunicação, qualquer tipo de violência e impunidade dos agressores, afetam seriamente a liberdade de expressão e de imprensa. Esses atos devem ser investigados com presteza e punidos severamente.
V – A censura prévia, as restrições à circulação dos meios ou à divulgação de suas mensagens, a imposição arbitrária de informação, a criação de obstáculos ao livre fluxo informativo e as limitações ao livre exercício e movimentação dos jornalistas se opõem diretamente à liberdade de imprensa.
VI – Os meios de comunicação e os jornalistas não devem ser objeto de discriminações ou favores em função do que escrevam ou digam.
VII – As políticas tarifárias e cambiais, as licenças de importação de papel ou equipamento jornalístico, a concessão de freqüências de rádio e televisão e a veiculação ou supressão da publicidade estatal não devem ser utilizadas para premiar ou castigar os meios de comunicação ou os jornalistas.
VIII – A incorporação de jornalistas a associações profissionais ou sindicais e a filiação de meios de comunicação a câmaras empresariais devem ser estritamente voluntárias.
IX – A credibilidade da imprensa está ligada ao compromisso com a verdade, à busca de precisão, imparcialidade e eqüidade e à clara diferenciação entre as mensagens jornalísticas e as comerciais. A conquista desses fins e a observância desses valores éticos e profissionais não devem ser impostos. São responsabilidades exclusivas dos jornalistas e dos meios de comunicação. Em uma sociedade livre, a opinião pública premia ou castiga.
X – Nenhum meio de comunicação ou jornalista deve ser sancionado por difundir a verdade, criticar ou fazer denúncias contra o poder público.

Visita

do site oficial da PMCG
c/ed.

O prefeito Alexandre Mocaiber inspeciona agora pela manhã, às 10h30, as obras de acabamento (asfaltamento, iluminação e ciclovia) da ponte que a prefeitura de Campos constrói sobre o Rio Paraiba do Sul entre os bairros do Fundão e Coroa. O prefeito e engenheiros da secretaria de Obras e da gerência de Infra-Estrutura vão atravessar a ponte a pé, a partir do bairro da Coroa. Ele vai inspecionar ainda o conjunto habitacional de 117 casas, com infra-estrutura completa, que está sendo construído para abrigar famílias da comunidade do Parque Santa Helena, que deixaram a área para permitir a construção da nova ponte. Mocaiber vai também inspecionar as instalações do sistema de iluminação e, após a travessia, vai vistoriar o acabamento das obras realizadas no trecho de 800 metros, em via dupla, da nova avenida Estilac Leal. O prefeito vai inspecionar todo o trecho, cujo prolongamento passa por uma área que foi desapropriada para estender a Estilac Leal entre a nova ponte e a BR-101, por onde passará o tráfego pesado em sentido único de direção.

Agenda


by Folha da Manhã

2008/07/28

Inviolabilidade

Opositores pressionam Lula a vetar projeto que preserva advogado
UOL - Últimas notícias
Por Fernando Exman

BRASÍLIA (Reuters) - A duas semanas do fim do prazo para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vete ou sancione o projeto de lei que garante a inviolabilidade dos escritórios de advocacia, juízes federais, integrantes do Ministério Público e delegados da Polícia Federal aumentaram nesta segunda-feira a pressão para que o tema seja derrubado.
Em encontro com o ministro da Justiça, Tarso Genro, representantes das entidades que representam essas categorias defenderam o veto à proposta.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidirá se veta ou sanciona o projeto depois de ouvir o relato de Genro sobre essa reunião. Pela manhã, o presidente foi aconselhado pela maioria dos ministros da coordenação política do Executivo a vetar o texto, aprovado no último dia 9 pelo Senado.
Depois da reunião, o ministro da Justiça afirmou em rápida entrevista que a decisão do presidente será fundamentada em três pilares: "O respeito às prerrogativas dos advogados, se a norma favorece a impunidade e se tem um caráter educativo."
De autoria do deputado Michel Temer (PMDB-SP), o projeto de lei limita a realização de mandados de busca e apreensão em escritórios em casos em que os advogados forem os alvos das investigações.
Estabelece que representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) acompanharão as operações. E só permite o acesso a materiais relativos a clientes que estiverem sendo investigados por suposta co-autoria dos crimes que justificarem a quebra da inviolabilidade.
Para delegados, juízes e promotores, o projeto prejudica investigações e cria uma imunidade que não está prevista na Constituição.
Presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), José Carlos Cosenzo destacou que não se pode tratar uma categoria profissional de forma privilegiada. "O projeto é bom para o mau advogado, mas desnecessário para o bom", disse a jornalistas depois de reunir-se com o ministro da Justiça.
"O Código de Processo Penal, o Estatuto da Advocacia e a Constituição já protegem a relação entre cliente e advogado. O que não se pode é estabelecer uma imunidade absoluta que não tem respaldo na Constituição", reforçou o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Fernando Mattos.
Principal interessada na sanção do projeto, a OAB prepara um contra-ataque. O presidente da entidade, Cezar Britto, pretende conversar com o ministro da Justiça sobre o tema na quarta-feira.
Para Britto, a quebra da inviolabilidade dos escritórios e materiais de advogados pode prejudicar a defesa dos clientes. "Essa pressão é natural em um Estado que procura resolver as questões da democracia como se fossem casos de polícia. Não tenho dúvida nenhuma que o veto será sinônimo de que a mentalidade policialesca venceu", criticou.

2008/07/25

Poema

CHORO


Toda lágrima que cai
tem direção.
Encontra vales,
rega caminhos
desenhados a ferro
em brasa e fogo.
Toda lágrima que cai
é desperdício
para quem não busca
na batalha o inimigo
ou vê nos campos
unicamente
a primavera da vez.
Toda lágrima que cai
é sacrifício.
Não se vê no olhar
então o viço,
nem se busca na hora
resposta posta, pronta
e sentinela.
No entanto...
Toda lágrima que cai
em franco riso
é resposta humana, sentimento,
clareza da aura,
luz intensa, interna,
um arrebatamento,
pureza enfim.

Cacciola

25/07/2008 - 15h01
Justiça suspende processo contra Cacciola por crime contra o sistema financeiro
Publicidade

da Folha Online
UOL notícias

A Justiça Federal suspendeu o processo contra Salvatore Cacciola que tramita na 5ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. A decisão foi concedida ontem pela juíza federal Simone Schreiber, que acatou pedido da defesa do ex-banqueiro e do Ministério Público Federal.
Na mesma decisão, a juíza também suspendeu a audiência estava marcada para hoje, às 13h30. Ainda não foi agendada uma nova data pela Justiça. Cacciola está preso na Penitenciária Pedrolino Werling de Oliveira - Bangu 8, na zona oeste do Rio de Janeiro, desde a madrugada do último dia 18.
No pedido de suspensão, a defesa de Cacciola alegou violação do acordo de extradição do ex-banqueiro. Pelo acordo, o ex-banqueiro poderá responder somente pelo processo que tramita na 6ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, no qual ele responde pelo crime de gestão fraudulenta. Portanto, Cacciola não poderia se apresentar para audiência na 5ª Vara Federal Criminal, onde responde por crime contra o sistema financeiro.
O Ministério Público também pediu o adiamento da audiência até que seja esclarecido o pedido de extradição formulado pelo Ministério da Justiça.
A violação do acordo de extradição também está sendo questionada na Justiça de Mônaco. O advogado Frank Michel, que defende Cacciola em Mônaco, juntou cópia da intimação à petição apresentada à Justiça do principado. Segundo o advogado Carlos Ely Eluf, que defende o ex-banqueiro no Brasil, a Procuradoria Geral de Mônaco já interpelou o governo brasileiro por meio da embaixada do Brasil em Paris.
A assessoria do Ministério da Justiça disse que o governo brasileiro ainda não recebeu nenhuma notificação sobre o questionamento feito pela defesa de Cacciola em Mônaco.
Extradição
Salvatore Cacciola chegou ao Brasil na última quinta-feira (17) após ser extraditado de Mônaco, onde estava preso desde setembro do ano passado. Ele desembarcou no Rio de Janeiro e foi levado para a Superintendência da Polícia Federal, onde concedeu entrevista.
Cacciola afirmou que nunca foi um foragido da Justiça. "A primeira coisa é que eu nunca fui um foragido. Fui para a Itália com passaporte carimbado", disse.
Ele afirmou ainda estar "tranqüilo" e confiante na Justiça. Cacciola destacou que dez outras pessoas condenadas no mesmo processo estão livres e trabalhando. "A única diferença é que eu estava na Itália."
Cacciola foi inicialmente levado para o presídio Ary Franco, em Água Santa (zona norte do Rio). Como não havia cela especial, o ex-banqueiro foi transferido para Bangu 8, onde divide cela com outros 32 presos com nível superior.
O procurador da República no Rio de Janeiro Artur Gueiros, responsável pelo caso Cacciola, contestou a declaração do ex-banqueiro e disse que ele deveria ser considerado foragido porque respondia a processo por "crimes graves" e não podia deixar o país sem autorização judicial.
Condenado à revelia no Brasil a 13 anos de prisão pela prática de vários crimes, Cacciola foi preso em Mônaco enquanto passava um final de semana de lazer, longe da Itália --país do qual tem a nacionalidade e de onde não poderia ser extraditado para o Brasil em decorrência de acordos diplomáticos.
Entenda o caso
Em 1999, o banco Marka quebrou com a desvalorização cambial. Mas contrariando o que ocorria no mercado, o Marka e o banco FonteCindam assumiram compromissos em dólar.
O banco de Cacciola, por exemplo, investiu na estabilidade do real e tinha 20 vezes seu patrimônio líquido comprometido em contratos de venda no mercado futuro de dólar.
O Banco Central socorreu as duas instituições, vendendo dólares com cotação abaixo do mercado, tentando evitar que quebrassem. A justificativa para a ajuda oficial às duas instituições foi a possibilidade de a quebra provocar uma 'crise sistêmica' no mercado financeiro.
Em 2005, a juíza Ana Paula Vieira de Carvalho, da 6ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, condenou Salvatore Cacciola, à revelia, a 13 anos de prisão.
O então presidente do BC, Francisco Lopes, recebeu pena de dez anos em regime fechado e a diretora de Fiscalização do BC, Tereza Grossi, pegou seis anos. Os dois recorreram e respondem ao processo em liberdade.
Em 18 de setembro do ano passado, a juíza federal Simone Schreiber, da 5ª Vara Federal Criminal do Rio, determinou a prisão preventiva do ex-banqueiro.
Na sentença, concedida a pedido do Ministério Público Federal, a juíza determina não só a expedição do mandado de prisão contra Cacciola, como manda informar o Ministério da Justiça do interesse na extradição do ex-banqueiro para o Brasil.

Agenda


by Folha da Manhã

2008/07/24

Dólar

Dólar fecha abaixo de R$ 1,58, menor valor desde janeiro de 99

UOL notícias
Por Silvio Cascione
DE SÃO PAULO (Reuters) - O aumento do juro pelo Banco Central fez o dólar cair nesta quinta-feira para o menor nível em mais de nove anos, mesmo com a intensa queda das Bolsas e o aumento da aversão a risco no exterior.A moeda norte-americana terminou o dia a R$ 1,579 real, em baixa de 0,38%. É a menor cotação de fechamento desde 19 de janeiro de 1999, dias após o Brasil adotar o regime de câmbio flutuante.
O BC anunciou na véspera um aumento de 0,75 ponto percentual na taxa de juro para combater as pressões inflacionárias. A Selic, agora a 13% ao ano, havia subido 0,5 ponto percentual nas duas reuniões anteriores.Juros altos atraem investidores estrangeiros. Com mais oferta de dólar, a cotação da moeda tende a cair."Já estava prevista uma possível alta de 0,5 (ponto). E hoje você vê que o real se valorizou mais ainda. Isso porque (o aumento do juro) não foi de 0,5 (ponto), foi de 0,75", disse Tarcísio Rodrigues, diretor de câmbio do Banco Paulista.A queda do dólar ocorreu a despeito da turbulência no exterior.
As Bolsas nos Estados Unidos caíam quase à tarde por conta da alta do petróleo e da queda das vendas de moradias usadas.Com o juro maior, aumenta o espaço para as chamadas operações de arbitragem. Nelas, por meio de transações no mercado de derivativos, os investidores aproveitam a diferença entre o juro praticado no Brasil e no exterior. Nos Estados Unidos, por exemplo, a taxa básica está em 2% ao ano.Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os estrangeiros já tinham em derivativos cambiais na quarta-feira mais de US$ 6 bilhões em posições vendidas.
Quando o agente detém uma posição vendida em dólar, ele lucra com a desvalorização da moeda diante do real.Segundo Rodrigues, o grau de investimento obtido há alguns meses pelo Brasil potencializa o efeito que a alta do juro tem sobre o dólar. "Muitos fundos não podiam aplicar no Brasil, e agora podem", disse.O Banco Central realizou no meio do dia um leilão de compra de dólares no mercado à vista. Foram aceitas duas propostas, segundo um operador, com taxa de corte de R$ 1,5746.
(Edição de Vanessa Stelzer)

CNH

Detran do RJ intima 2.645 motoristas a entregarem a carteira de habilitação
UOL notícias
Da Agência JB

O Detran do Rio de Janeiro intimou 2.645 condutores, que já estão com o direito de dirigir suspenso, a entregarem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ao departamento em 48 horas. Outros 5.781 usuários estão com o direito de dirigir suspenso a partir desta quinta-feira, mas terão mais uma chance de entrar com recurso na Junta Administrativa de Recursos de Infração (Jari) no prazo máximo de 30 dias. As duas listas foram publicadas no Diário Oficial desta quinta-feira.
Em ambos os casos, os motoristas ultrapassaram os 20 pontos na CNH ou cometeram infrações mandatórias, que são aquelas não chegam aos 20 pontos, mas que prevêem, por si só, a suspensão do direito de dirigir do infrator.
O presidente do Detran, Sebastião Faria, explicou que o prazo da suspensão do direito de dirigir varia em cada caso, e que o departamento oferece todas as oportunidades para os motoristas se defenderem.
A orientação do Detran aos usuários que não têm mais chances de recursos é que entreguem seus documentos e façam o curso de reciclagem que, na sede do Detran, é gratuito.Com a publicação desta quinta-feira, são 8.349 CNHs suspensas desde o começo deste ano, esgotadas as possibilidades de recursos. No total, o Detran já abriu cerca de 29 mil processos que podem culminar com a suspensão do direito de dirigir.
Até o final deste mês, o departamento deverá abrir outros 14 mil processos, elevando para 43 mil processos abertos.Para recuperar o direito de dirigir, os condutores têm que fazer o curso de reciclagem, que é oferecido gratuitamente na sede do Detran, na Avenida Presidente Vargas, 817, no Centro do Rio.
Mais informações pelos telefones 2332-0082 ou 2332-0309. Outra opção é assistir as aulas em um Centro de Formação de Condutores, que cobram, em média, R$ 150 pelo curso.Os usuários devem cumprir a carga horária de 30 horas de aula teórica. Cada aula dura três horas, ministradas de segunda a sexta. Duas turmas com capacidade para 15 pessoas cada estão com inscrições abertas na sede do departamento. Uma terá aulas das 9h ao meio-dia, e outra à noite, das 18h às 21h.
A previsão é que as aulas comecem no dia 28 de julho.Para se inscrever, o usuário deve apresentar os originais da carteira de identidade, do CPF, de um comprovante de residência atual e, caso ainda não tenha devolvido ao Detran a CNH suspensa, deverá fazê-lo no ato da inscrição.Durante as aulas, são abordados temas como Legislação de Trânsito, Relações Interpessoais, Direção Defensiva e Primeiros Socorros. Ao fim do curso, será aplicada uma prova com 30 questões objetivas. Só será aprovado quem comparecer a todas as aulas e acertar pelo menos 70% da prova (21 questões). O usuário poderá fazer o curso enquanto o direito de dirigir estiver suspenso, mas só reaverá a CNH ao término da suspensão.

Obras

(do site da PMCG)
Emut alerta motoristas sobre obras no Contorno

A Empresa Municipal de Transportes (Emut) alerta aos motoristas que trafegam pela avenida Nilo Peçanha para que trafeguem com cautela no trecho compreendido entre a sede da secretaria de Planejamento e o Trevo do Índio. No canteiro central da pista há máquinas e homens construindo rede de adutora de água potável. No canteiro do trevo, junto ao final do muro da Viação 1001, outras máquinas fazem intervenções na parte coberta do canal de drenagem que passa sob o Trevo do Índio bem como no trecho da pista de entrada da BR-101 na cidade. O presidente da Emut, Jośe Henrique Mariz, informa que nos próximos dias, as máquinas vão trabalhar numa alça da rotatória que compõe o trevo, a fim de fazer o nivelamento do piso, que atualmente está em nível mais baixo do que o piso da pista da Rodovia do Contorno, além de apresentar irregularidades na superelevação, que provoca acidentes com caminhões carregados, no ponto de bifurcação entre a Nilo Peçanha e alça de escape da rotatória, que permite motoristas sair da BR-101 para a Rodovia do Contorno.Segundo o secretário de Obras, Edilson Peixoto, as intervenções a serem realizadas, foram estudadas pela gerência de Infra-Estrutura, em conjunto com a Guarda Civil Municipal, Polícia Rodoviária Federal e a concessionária Autopista Fluminense (OHL), que administra o trecho da rodovia federal entre a Ponte Rio-Niterói e a divisa com o Espírito Santo. Ele destaca que para evitar transtornos no local, a Emut e o Denit já planejaram um desvio alternativo para dar vazão ao fluxo intenso de veículos que passa pelo trevo.De acordo com o plano preparado pela Emut para funcionar durante as obras, o trânsito vai ser desviado para ramos do novo trevo de entroncamento com a avenida Arthur Bernardes, situado no lado oposto da BR-101, no prolongamento da avenida Nilo Peçanha. A alteração no trânsito será feita para permitir a realização de obras para corrigir defeitos na geometria da pista. De acordo com informações do gerente de Infra-Estrutura da Prefeitura de Campos, Sérgio Mansur, a superelevação da pista existente (inclinação do piso na curva) precisa de correção, a fim de evitar a projeção dos veículos para fora da pista e possíveis acidentes. Ele explica que o gerente de Infra-Estrutura, as obras em execução pela secretaria de Obras de Campos vão corrigir ainda uma deficiência no trecho do entroncamento da Rodovia do Contorno com a chegada da BR-101. Atualmente este trecho impede que o motorista que trafega no sentido Campos/Rio, tenha visibilidade dos veículos que chegam no trevo, procedentes de Vitória.A deficiência na visibilidade é provocada em decorrência do desnível entre as duas pistas.– Para mudar o trânsito durante as obras, a prefeitura está concluindo a pavimentação dos ramos do novo trevo de ligação com a nova via Arthur Bernardes, que servirá como desvio do trecho em obra no trevo do Índio. A ligação com a avenida Arthur Bernardes está sendo pavimentada na sua quase totalidade, exceto o ramo que dá acesso para a avenida Nilo Peçanha, cujas obras para cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) pelo Ministério Público Estadual estão em andamento, com a construção de um trecho de galeria celular – concluiu Sérgio Mansur.

Campanha



by Folha da Manhã

2008/07/23

Proteção

Para quem se interessa (e para despertar o interesse daqueles que, indesculpavelmente, não se interessam) pelo trabalho desenvolvido na defesa dos animais no Brasil, vai aí uma lista de entidades:

http://br.geocities.com/AnimaisSOS/entidades.html

Mais pecado

O Dia Online
Quarta, 23 de julho de 2008, 11h57 Atualizada às 11h57
Pecado Capital: PF cumpre 11 mandados de busca

Um grupo formado por promotores e agentes da Polícia Federal (PF) cumpriram, nesta manhã, 11 mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e em um escritório de advocacia do Rio de Janeiro. Os mandados fazem parte da Operação Pecado Capital.
Na semana passada, 12 pessoas, entre elas dois ex-secretários de Estado, foram presas suspeitas de envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro público por meio de contratos com Organizações Não Governamentais.
Os ex-governadores Rosinha Matheus e Anthony Garotinho foram denunciados por improbidade administrativa e tiveram os bens bloqueados pela Justiça, assim como outros envolvidos nas investigações. Eles negam as acusações.

Agenda



By Folha da Manhã

2008/07/22

The Economist

Matéria da revista britânica The Economist sobre o atual e os dois últimos governos do estado do Rio de Janeiro... elogios e críticas.

Brazil
Mending an icon
Jul 17th 2008 RIO DE JANEIRO
From The Economist print edition

How Rio’s first good governor in decades is starting to renew Brazil’s most famous city

IT IS not hard to discover what is wrong with Rio de Janeiro. Walk along the main shopping street of the Complexo de Alemão, a large shanty town that has been surrounded by police gunmen for months, and after about 20 metres the stalls selling fruit, vegetables and pirated DVDs give way to one selling wraps of cocaine and marijuana. It is run by boys with machineguns slung over their shoulders. Other shoppers try hard to pretend that this is normal, but they avoid looking the gunmen and their hangers-on in the eye, just in case. From time to time more machineguns pass by on motorbikes, their riders off to collect drugs, kill a rival or enforce their own version of the law.
When Sérgio Cabral was elected governor of Rio state at the end of 2006, hopes were high that he might curb corruption among politicians and the police, and pull the city of Rio (for which he is also responsible) out of a 25-year slump. He hired a team of reformers, broke a local taboo by appealing to the federal government for help, and seemed almost too eager to try new things. Inspired by the work of Steven Levitt, an American economist, he at one point suggested legalising abortion as a way of reducing the future supply of potential criminals.
A year and a half into his term, how is Mr Cabral doing? According to his finance minister, Joaquim Levy, the new government’s plan was first to get the state’s finances in order and then to fund improvements in health care and public security. An unspoken assumption was that Mr Cabral’s administration would also practise a cleaner brand of politics.
The first part has gone well. Despite the oil money that Rio gets from the wells off its coastline, the state has often been in the red. That has changed under the new administration. Tax receipts are up: the courts that rule on tax disputes, which can go on for many years—some cases from the early 1990s are still not settled—are being streamlined with the aim of cutting the time spent wrangling to no more than two years. And spending is more controlled. As a result, the state’s finances have gone from a deficit of 100m reais ($63m) to a surplus last year of 790m reais.
Mr Cabral has also been busily soliciting foreign investment to add to the deal that his predecessor signed with ThyssenKrupp, a German industrial group, to build a steel mill that is due to be the biggest foreign investment in Latin America. The time taken to register a business is falling. The state’s pension fund has been under something like normal financial management and is now accumulating cash for the first time in ten years.
However, government in Rio is mainly judged by the level of violence, and here its record is less good. After a promising start, Mr Cabral’s administration fell out with reformers in the police. Brazil’s murder rate has been falling, but in the city of Rio killings by the police have risen sharply—up from 300 in 1998 to 900 last year. Earlier this month two policemen opened fire on a car they thought belonged to a drug dealer, killing a three-year-old boy. The army, where it has been deployed against crime, has proved equally slapdash. Last month soldiers handed three young men from one shanty town to a gang in a neighbouring area. All were promptly murdered.
Part of Rio’s problem is that voters have long shown a preference for charm over administrative skills when it comes to choosing their politicians. Anthony Garotinho, a football commentator turned tele-evangelist, and his wife Rosinha, who between them governed the state with a startling incompetence from 1999 until 2006, are the most recent examples. According to André Urani, author of a forthcoming book on the city, the explanation lies in an abdication by Rio’s elite which, he argues, has regarded local politics as insufficiently important to merit its attention.
Yet even as Mr Cabral’s administration seems to be breaking this pattern, there are signs of it resurfacing elsewhere. The front-runner in the mayoral race in Rio, to be held in October, is Marcelo Crivella. He is the nephew of Edir Macedo, who runs the Universal Church of the Kingdom of God, a large network of Pentecostal churches. His uncle also co-owns the Rede Record group, which includes one of Brazil’s biggest news channels. Mr Crivella is a bishop in the church (he also has a career as a singer). Though this ought not to count against him in his bid to be mayor, his willingness to over-promise should. He recently got in trouble for suggesting in campaign leaflets that he could single-handedly remodel one of Rio’s largest shanty towns to resemble a picturesque hillside village in Italy.
Set against this tradition, Mr Cabral’s government, which is clean, competent and takes institutions seriously, is a huge improvement. Yet it is too early to declare Rio’s renaissance to be under way. As the machineguns in the shopping streets attest, there is still a huge amount to do.

Nota do blog:
ao se referir ao ex-governador Anthony Garotinho Matheus, o repórter citou-o como comentarista esportivo (o que nos remete a pensar que pode ter havido uma pequena confusão com o José Carlos Araújo, o Garotinho, do Rio de Janeiro). Mas o Garotinho do norte fluminense também foi narrador... o que também pode significar que o repórter fez uma ampla pesquisa.

Dercy

Terra
Termina velório de Dercy Gonçalves e corpo segue para missa

Ernani Alves
Direto do Rio

O cortejo levando o corpo de Dercy Gonçalves do Clube Montanhês até o Cemitério de Santa Maria Madalena saiu por volta das 11h45 desta terça-feira acompanhado por mais de mil pessoas, segundo a Guarda Municipal da cidade.
De acordo com o presidente do museu de Dercy Gonçalves, Nestor Lopes, a caminhada terá duas paradas antes de chegar ao cemitério. A primeira será em frente à casa onde Dercy nasceu, e a segunda na igreja da Matriz, onde haverá uma missa de corpo presente.
Três viaturas da Polícia Militar acompanham o cortejo e vários moradores assistem das janelas e sacadas de suas casas.

Concurso

22/07/2008 - 10h11
UOL notícias
Governo do Rio tem concurso para fiscal; remuneração de R$ 9.615
Da Redação
Em São Paulo
O governo do Rio de Janeiro abriu concurso público com 70 vagas para o cargo de fiscal de rendas de 3ª categoria. Os novos servidores, que vão trabalhar para a Secretaria de Fazenda, terão salário inicial de R$ 9.615. O edital foi publicado na segunda (21) no Diário Oficial do Estado. Exige-se do candidato curso de graduação em qualquer área. Das 70 vagas, quatro estão reservadas para portadores de deficiências.É preciso se inscrever entre as 9h do dia 28 de julho e as 20h de 29 de agosto, pela Internet, no site da Fundação Getúlio Vargas, organizadora do concurso. Pessoalmente, as inscrições serão recebidas no mesmo prazo, até as 17 do dia 29, no colégio estadual Amaro Cavalcanti (largo do Machado, 20, Catete, Rio de Janeiro). A taxa é de R$ 150. As provas, realizadas na cidade do Rio de Janeiro, terão duração de cinco horas e serão aplicadas nos dias 11 e 12 de outubro deste ano. Os candidatos vão enfrentar questões de português; matemática financeira e estatística; economia e finanças públicas; administração; direito constitucional, administrativo, civil, comercial (empresarial) e tributário; legislação tributária e normas de fiscalização, contabilidade geral e de custos; e auditoria.As informações foram fornecidas pelo Governo do Rio. É recomendável confirmar datas e horários para se prevenir de alterações posteriores à publicação deste texto. Outros dados podem ser obtidos no site da FGV, instituição organizadora.

2008/07/21

Circo

Em relação aos recentes acontecimentos envolvendo órgãos de comunicação e política em nossa intrépida Campos dos Goytacazes, queria apenas dizer o seguinte: acho que poucas vezes na história a inteligência do povo campista foi tão questionada como no último final de semana.

2008/07/18

ONGs

Infográfico O Globo
Rosinha, Garotinho, ONGs e problemas...

http://www.oglobo.com.br/servicos/pop_infografico.asp?p=/fotos/2008/07/16/info_pais_pagina3.gif&l=764&a=1421

2008/07/17

Record



17/07/2008 - 16h30
Record ilude com manipulação de gráfico de Ibope
Ricardo Feltrin
Colunista do UOL
A Record manipulou graficamente dados de audiência durante reportagem do "Jornal da Record", exibida na semana passada. O objetivo foi reduzir graficamente a diferença que separa a emissora da Globo.O site Tevê Notícias foi alertado por seus leitores e publicou a imagem do gráfico manipulado: uma liderança diferença de quase 13 pontos a mais para o "Jornal Nacional", contra o "Jornal da Record", foi representada por duas torres praticamente do mesmo tamanho.
Já uma minúscula diferença, de apenas 0,8 ponto, em favor do "Câmera Record" contra o "Globo Repórter" apareceu com torres de tamanhos completamente desproporcionais: há um visível "superfaturamento" da vitória da Record.
Outro Lado
A Record confirma que a imagem dos gráficos abaixo, publicadas no site Tevê Notícias, são verdadeiras. Mas nega que tenha havido qualquer tipo de manipulação, nem mesmo visual."Não há manipulação de gráficos, uma vez que os números estão lá expostos(...). Em TV existe também a questão estética do gráfico, a tela é limitada", informou o Departamento de Jornalismo, por meio da CGRecord.RéplicaO problema não é estético. E os números de fato estão certos. Mas há manipulação clara de proporção. Ao colocar proporções completamente diferentes, em dois gráficos diferentes, a Record usa dois pesos e duas medias em seu favor. O telespectador é induzido a acreditar que o "Jornal da Record" está encostado no "JN" - o que não é verdade. E que o "Câmera Record" venceu de forma cabal o "Globo Repórter" - o que também não é verdade (por apenas 0,3 não acabou em empate técnico).

2008/07/16

Lista

Lista de Ongs investigadas pelo MP e polícia civil sob suspeitas de terem recebido ilegalmente verbas do governo Rosinha Garotinho, no estado do Rio de Janeiro:

http://www.oglobo.com.br/servicos/pop_infografico.asp?p=/fotos/2008/07/15/tabela_ongs_cheques.gif&l=655&a=6764

2008/07/15

Pecado capital

Polícia prende no Rio ex-assessor do governo Garotinho e ex-secretário de saúde
15/07 - 10:09, atualizada às 13:16 15/07 - Redação com Agência Estado
Último segundo - Ig


RIO DE JANEIRO – Seis pessoas já foram presas na Operação Pecado Capital, deflagrada nesta terça-feira pela Polícia Civil com o apoio do Ministério Público Estadual (MPE). A ação tem como objetivo desbaratar uma quadrilha que agia desviando verbas da Secretaria Estadual de Saúde na gestão da ex-governadora do Rio, Rosinha Matheus. Entre os detidos, estão o ex-assessor da Secretaria de Segurança Pública durante o governo Garotinho, Itamar Guerreiro, a ex-deputada federal e ex-subsecretária de Assistência à Saúde, Alcione Athayde (PPB-RJ), e o ex-secretário estadual de saúde, Gilson Cantarino.
As prisões estão sendo realizadas pela Delegacia Fazendária da Polícia Civil. Foram expedidos 14 mandados de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão na capital e no interior pela 21ª Vara Criminal. De acordo com uma nota divulgada pelo Ministério Público, as investigações estão sendo conduzidas por agentes da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do MPE. Segundo o órgão, a quadrilha agia no período entre 2005 e 2006 "desviando verbas públicas por intermédio de contratações ilícitas para a execução de projetos vinculados à Secretaria Estadual de Saúde”.
Segundo as investigações, os desvios eram feitos através da contratação de ONGs. Mais de R$ 60 milhões que foram desviados seriam destinados ao projeto "Saúde em Movimento". O programa era promovido pela Fundação Procefet e contava com serviços de aferição de pressão alta, medição da glicose, clínica médica, nutrição e aplicação de flúor para a população carente da Baixada Fluminense.

2008/07/14

Novo Mundo


A prefeitura de Campos começou esta manhã a executar o projeto "Cara nova" no Parque Novo Mundo, em Guarus. A Empresa Municipal de Habitação, Urbanização e Saneamento (Emhab) participa com a utilização de um caminhão tipo truck 1820, adquirido recentemente e equipado com um dos mais modernos sistemas existentes no mercado para a desobstrução e limpeza de redes de esgoto, galerias de águas pluviais, fossas e poços de visitas.

Foto: Luciano Aquino

2008/07/09

Clodovil

De onde menos se espera pode ser que não saia absolutamente nada mesmo, ou, com grata surpresa, uma idéia digna de registro.
Não é que o ex-costureiro e ex-apresentador de tv Clodovil Hernandez, eterna figura polêmica e atualmente deputado federal pelo PR de São Paulo, apresentou emenda constitucional para reduzir de 513 a 250 o número de parlamentares na Câmara Federal? Haveria de fato uma significativa redução de custos e possivelmente a casa legislativa passaria a trabalhar de forma mais proveitosa.
Guardadas as devidas proporcionalidades e o respeito às leis e trâmites legais de possíveis alterações, essa é uma idéia que poderia ser estendida a câmaras municipais e assembléias legislativas.
O povo não precisa ser representado por quantidade, mas por qualidade.

COMO É HOJE NA CÂMARA FEDERAL:
Quantos são e de que forma é definido o número de Deputados -
O art. 45 da Constituição Federal determina que o número total de Deputados, bem como a representação por Estado e pelo Distrito Federal, deve ser estabelecido por lei complementar, proporcionalmente à população, procedendo-se aos ajustes necessários, no ano anterior às eleições, para que nenhuma das unidades da Federação tenha menos de oito ou mais de setenta Deputados.
A Lei Complementar nº 78, de 30 de dezembro de 1993, estabelece que o número de Deputados não pode ultrapassar quinhentos e treze. A Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística fornece os dados estatísticos para a efetivação do cálculo.
Feitos os cálculos, o Tribunal Superior Eleitoral encaminha aos Tribunais Regionais Eleitorais e aos partidos políticos o número de vagas a serem disputadas.
Além do número mínimo de representantes, a lei determina que cada Território Federal será representado por quatro Deputados Federais.
Número de Deputados por Estado
Acre 8
Alagoas 9
Amazonas 8
Amapá 8
Bahia 39
Ceará 22
Distrito Federal 8
Espírito Santo 10
Goiás 17
Maranhao 18
Minas Gerais 53
Mato Grossso do Sul 8
Mato Grosso 8
Pará 17
Paraíba 12
Pernambuco 25
Piauí 10
Paraná 30
Rio de Janeiro 46
Rio Grande do Norte 8
Rondônia 8
Roraima 8
Rio Grande do Sul 31
Santa Catarina 16
Sergipe 8
Sao Paulo 70
Tocantins 8

obs. dados do site da Câmara Federal

2008/07/07

Suipa

Merece uma visita o site da Sociedade União Internacional Protetora dos Animais, assim como a própria Suipa merece o apoio da população. Conheça o trabalho realizado e veja como ajudar.
www.suipa.org.br

Manifestação



Manifestantes semi-nus protestam contra as touradas na Espanha.

Foto: portal Ig

Voltas

As voltas que esta vida dá...
No meio político começa a se comentar que existiria um acordo (ou pré-acordo) entre o ex-deputado federal Paulo Feijó e o ex-governador Anthony Garotinho Matheus, para um apoio do PSDB à candidata Rosinha Garotinho na hipótese de ocorrer um segundo turno nas eleições em Campos dos Goytacazes. Esse possível acordo teria inclusive incentivado o ex-parlamentar a apresentar candidatura própria neste momento.
Volto a dizer que os entendimentos e negociações na política são um ponto comum, mas deve ser bastante incômodo para Feijó, a esta altura de sua vida política, ficar ombro a ombro com o ex-governador, na medida em que as catapultas de ambos sempre estiveram voltadas para um e outro, muitas vezes com cargas pesadas.
Ou não?

2008/07/03

Novo site

Entra no "ar" nesta sexta-feira, quatro de julho, o site da Empresa Municipal de Habitação, Urbanização e Saneamento de Campos dos Goytacazes: www.emhabcampos.com.br

Obrigado

Agradeço o prêmio "Nossa gente é um talento", criado pela artista Shana Carla, na sua versão 2008, como assessor de comunicação da Emhab.

2008/07/01

YouTube - Canal de climatempo

YouTube - Canal de climatempo

Voto

Votar nulo ou em branco é um direito que assiste a cada cidadão. Aliás, considero mesmo que o voto não deveria ser obrigatório, sendo legal a eleição mesmo com um pequeno percentual de eleitores, o que, na verdade, expressaria efetivamente a vontade daqueles que estariam sintonizados e interessados no processo de escolha dos governantes.
Mas qualquer campanha pelo voto nulo só deve se tornar legítima por uma razão realmente forte, e não apenas por simbolizar um tom jocoso de abordar a questão política ou mesmo para expressar descontentamento com quem se apresenta como candidato.
Afinal, o que aumenta a legitimidade para que os eleitos sejam cobrados por suas ações é justamente a participação.
Negociações, praticamente em todas as suas formas, existem na política em todas as suas esferas. Todos sabem (ou deveriam saber) disto. Mas a pura participação popular é o que, de verdade, carimba como autêntico o mecanismo de escolha dos cargos eletivos.
Ou não mais se acredita que o poder emana do povo, e em seu nome deve ser exercido?