2014/10/25

Projeto pode autorizar municípios a operarem com cooperativas de crédito

Aguarda designação de relator na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) o Projeto de Lei do Senado (PLS) 280/2014, que autoriza os municípios a depositarem seus recursos em cooperativas de crédito, como forma de incentivar a geração de emprego e renda, a formação de poupança e o desenvolvimento das economias locais.


Com a alteração feita pelo projeto, o parágrafo 1º do artigo 2º da Lei Complementar 130/2009 passa a vigorar com a seguinte redação: “A captação de recursos e a concessão de créditos e garantias devem ser restritas aos associados, ressalvados a gestão de disponibilidades de caixa dos municípios, de seus órgãos ou entidades e das empresas por eles controladas, as operações realizadas com outras instituições financeiras e os recursos obtidos de pessoas jurídicas, em caráter eventual, as taxas favorecidas ou isentos de remuneração”.


Reservas de mercado


A autora do projeto, senadora Ana Amélia (PP-RS), considera inaceitável a existência de “reservas de mercado” para o desenvolvimento do país, a exemplo da que impede as prefeituras de depositarem seus recursos em instituições financeiras localizadas nos próprios municípios, como é o caso das cooperativas de crédito, presentes em muitas localidades que não contam com bancos oficiais e estaduais.


De acordo com Ana Amélia, as cooperativas de crédito — instituições financeiras sem fins lucrativos, reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central — reúnem cerca de 5,1 milhões de cooperativados e possuem ativos na ordem de R$ 78 bilhões e empréstimos que alcançam R$ 35 bilhões. Estão presentes em mais de 3.500 municípios brasileiros, espalhadas por todos os estados da federação, formando uma rede composta por 1.191 cooperativas, que totalizam 5.032 pontos de atendimento.


Rede estruturada


Ana Amélia ressalta que a rede formada pelas cooperativas de crédito em todo o país é capaz de atender plenamente as necessidades tanto do poder público como do cidadão. Isso fica visível, disse ela, quando se constata a presença dessas instituições em localidades ausentes de bancos oficiais, como o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia, Banco do Nordeste ou bancos estaduais.


Em Rondônia, as cooperativas estão em 29% dos municípios onde não se encontram bancos oficiais. O mesmo ocorre em Mato Grosso, onde as cooperativas, além de estarem presentes em outros municípios, também estão em 53% daqueles sem bancos oficiais. Em Minas Gerais o estado com o maior número de municípios do país, as cooperativas também estão em centenas deles, e ainda se fazem presentes em 29% daqueles em que os bancos oficiais não se encontram. No Paraná, esse percentual chega a 53%. No Rio Grande do Sul, alcança 85% de presença em cidades que não contam com instituições oficiais de crédito.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)


2014/10/23

CNBB critica ataques na campanha presidencial e defende propostas

Arcebispo afirmou que os candidatos “descambam” para ataques pessoais.
Último debate na TV será "importante"

' para indecisos, disse religioso.


O arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, condenou nesta quinta-feira (23) os ataques mútuos entre os candidatos à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) durante a campanha eleitoral. Para o religioso, os eleitores são iludidos quando os candidatos partem para ataques pessoas em detrimento da discussão de propostas.

“É lamentável, porque eu sempre disse aos candidatos que o importante não é o resultado nas urnas, mas a contribuição que dariam para aperfeiçoar nossa democracia, ajudar o cidadão a se tornar mais participante e discutir propostas para o país. Mas muitas vezes a campanha descamba para outro rumo”, disse o cardeal em entrevista à imprensa na sede da CNBB, em Brasília.

Ele fez referência a um debate no primeiro turno, organizado pela CNBB, no qual Dilma e Aécio trocaram farpas sobre corrupção.


“No nosso debate, tentamos elevar o nível em termos de perguntas, mas o que nós vemos é que a campanha se descamba para ataques pessoas utilizados pelos marqueteiros. Nem sempre esses ataques correspondem à verdade. O marqueteiro tem um papel muito importante e o eleitor, que está ansioso em ver projetos para o país, fica defraudado”, disse Damasceno.

Debate na TV Globo

O arcebispo afirmou ainda que o último debate entre os presidenciáveis, que será realizado pela TV Globo na sexta-feira (24) depois da novela Império, será “importante” para a população escolher seu candidato. O programa vai contar com perguntas de eleitores indecisos, que estarão na plateia.

“Será importante, uma oportunidade para os candidatos se apresentarem mais tranquilos, sem ataques. Para que os indecisos ou desejosos de votar nulo se sintam mais animados a participar das eleições”, disse o cardeal.


Matéria integral em:
http://g1.globo.com/distrito-federal/eleicoes/2014/noticia/2014/10/cnbb-critica-ataques-na-campanha-presidencial-e-defende-propostas.html

Mulher e filha de Crivella são proprietárias de casas nos EUA

RIO - Sylvia Jane Crivella, mulher do senador Marcelo Crivella — candidato do PRB ao governo do Rio —, foi apresentada, ao longo de toda a campanha, como sendo uma mulher dedicada à igreja e à família. O site do partido de seu marido, por exemplo, chega a dar destaque a sua “dedicação exclusiva, em tempo integral” a esses dois assuntos. Sylvia, de acordo com documentos obtidos pelo GLOBO, é dona de dois imóveis na Flórida, propriedades avaliadas em quase US$ 500 mil e que, segundo a assessoria de imprensa de seu marido, foram comprados “com recursos próprios” dela.


A primeira casa fica em Orange County, em Orlando. Faz parte de um condomínio fechado, construído em 2006, e tem uma área total de 194 metros quadrados. A propriedade tem dois quartos, dois banheiros e vale cerca de US$ 220 mil no mercado americano atual. Sylvia Jane é sua proprietária desde abril de 2011.


A segunda propriedade fica em Seminole County, também na Florida, e foi construída no ano passado. Além de Sylvia, aparece como proprietária do imóvel Deborah Crivella Lopes, uma das filhas do candidato. Hoje em dia, a propriedade é avaliada em US$ 266 mil.


Procurada pela reportagem, a assessoria de Crivella informou que Sylvia e Deborah “são empresárias, portanto têm recursos próprios para adquirir os imóveis”.


Além disso, a campanha destacou que o primeiro imóvel “está devidamente declarado no imposto de renda de Sylvia Jane” e que o segundo foi comprado, em parte, por Deborah e, em parte por Crivella, “através de empréstimo contratado junto ao Banco do Brasil, declarado no imposto de renda do senador, e que ainda está em processo de quitação”.


Sylvia formou-se em Letras, lecionou por anos e já publicou três livros. Deborah é arquiteta. Hoje mora na segunda propriedade listada e trabalha nos Estados Unidos. Juntas, mãe e filha têm uma empresa em comum. São donas da Berry Cool, uma rede que vende iogurte e tem três lojas em Brasília.


VENDA DE IOGURTE


A Berry Cool é o nome fantasia da Austelia Astolfa Comercio de Alimentos. O capital social da empresa é de R$ 50 mil. Constam como sócios-acionistas Rachel Jane Crivella, outra filha do candidato, com 40% do negócio; Deborah Christine Crivella, com 30%, e Sylvia Jane Hodge Crivella, com 30%. A empresa foi aberta em 30 de maio de 2011, um mês depois da compra do primeiro imóvel que os Crivellas adquiriram na Flórida.
No sábado, a revista “Veja” publicou em seu site matéria em que citava a existência desses dois imóveis e ainda elencava outros bens que a família do candidato têm nos Estados Unidos.
Crivella chegou a recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) para que a reportagem fosse retirada do site da revista, mas o desembargador Horácio dos Santos Ribeiro Neto negou o pedido, alegando que não poderia “maltratar a liberdade de expressão” e que não tinha “como presumir que os fatos expostos na reportagem, ainda que desagradáveis para o nobre candidato e seus familiares”, ostentava gravidade.


Na declaração de bens que apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Crivella listou um patrimônio relativamente modesto, de R$ 739 mil.


por


2014/10/21

TRE nega recurso de Crivella contra ‘Veja’

RIO — Alegando que “não pode maltratar a liberdade de expressão”, o desembargador Horácio dos Santos Ribeiro Neto negou pedido feito pelo candidato Marcelo Crivella (PRB) ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) para que a Editora Abril retirasse de seu site reportagem sobre bens que a família do senador tem nos Estados Unidos.


Publicada no fim de semana pela revista “Veja”, a reportagem fala de dois imóveis, jatos executivos e carros importados que foram adquiridos pela família do candidato fora do país.
Para Crivella, a reportagem desequilibraria a disputa pelo Palácio Guanabara. Para o desembargador, o candidato não conseguiu provar que o que foi escrito “está distanciado da verdade”.


A reportagem afirma que “o próprio senador declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) patrimônio relativamente modesto para um campeão de vendas de discos gospel — R$ 739 mil.” E revela que a família é dona de dois imóveis na Flórida, nos Estados Unidos, onde desfruta de confortos como jatos executivos e carros importados. Segundo a “Veja”, “os Crivella são homens de negócios” e, desde o ano passado, administram uma rede de escolas adquirida por um grupo americano e presidida pelo filho do senador, Marcelo Hodge Crivella, de 29 anos.


ATUAÇÃO DA IMPRENSA


Em sua decisão liminar, o juiz afirma que “a partir da escolha de candidatos em convenção, é assegurado o direito de resposta a candidato, partido ou coligação atingidos, ainda que de forma indireta, por conceito, imagem ou afirmação caluniosa, difamatória, injuriosa ou sabidamente inverídica, difundidos por qualquer veículo de comunicação social.”


Em outro trecho, o magistrado reconhece, contudo, que não houve calúnia envolvendo Crivella ou sua família na reportagem: “Embora trate a referida regra de direito de resposta, traça inegável norte para atuação da imprensa: a regra é a liberdade de expressão, o limite é a calúnia, a difamação, a injúria ou a notícia sabidamente inverídica. Aliás, em consonância com a norma do artigo 220, parágrafo primeiro, da Constituição Federal. No caso vertente, embora afirme, não aponta o representante o que, na referida reportagem, seria calunioso, difamatório, injurioso ou inverídico”.




por
http://oglobo.globo.com/brasil/tre-nega-recurso-de-crivella-contra-veja-14318794

Reitor do IFFluminense em congresso na China

Evento reúne líderes mundiais da educação e será realizado de 24 a 26 de outubro, em Pequim, na China. Luiz Augusto chefia missão organizada pelo Conif.  


O Congresso Mundial 2014 da Federação Mundial de Colleges e Politécnicos (WFCP, na sigla em inglês), principal evento internacional para a educação profissional e técnica, será realizado de 24 a 26 de outubro de 2014, em Pequim, na China. O Congresso vai reunir líderes mundiais do sistema educacional para discutir tendências e avanços do setor. O tema deste ano é “Parcerias globais: construindo um futuro melhor”.

O professor Luiz Augusto Caldas Pereira, reitor do IFFluminense, participará do evento como chefe da missão organizada pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif). O Conselho terá um stand no Centro de Convenções onde será realizado o evento.

Na programação, mesa redonda da Universidade de Ciências Aplicadas (University of Applied Science Roundtable), workshops e sessões informativas sobre diversos temas: Tendências da Educação Superior profissional; Cooperação Internacional; Parcerias e Indústria; Pesquisa Aplicada, entre outros.

A equipe do Conif também fará uma visita ao Colégio Vocacional de Pequim (Vocational Colleges in Beijing and Tianjin) e se reunirá com a diretora executiva do College Australiano de Informação Tecnológica (Australian College of Information Technology). 

Saiba Mais: A WFCP é uma rede internacional de colleges, escolas politécnicas e de associações de colleges, cujo objetivo é promover o fortalecimento das lideranças que lidam com a educação para a economia global. A próxima edição do evento, em 2016, será realizada em Vitória (ES), no Brasil, e organizada pelo Conif.

PF anuncia paralisação de 72 h a partir desta quarta-feira

A Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) anunciou nesta terça-feira (21) uma paralisação de 72 horas entre os dias 22 e 24 deste mês. De acordo com a entidade, policiais de todos os Estados vão participar do protesto.


Segundo documento divulgado pela Federação, a paralisação foi motivada pelo não cumprimento pelo governo federal de "um acordo assinado no final da greve de 2012, no qual foi prometida a modernização da carreira na PF e o reconhecimento das atividades realizadas por todos servidores".


Em nota, a Fenapej afirma que os agentes, escrivães e papiloscopistas federais "reclamam do tratamento recebido depois das operações anticorrupção da década passada, pois são os únicos servidores federais com salários congelados desde 2009, com uma perda de poder aquisitivo estimada em 45%, segundo o IPCA".


Jones Borges Leal, presidente da entidade, afirmou que o estopim da paralisação foi a Medida Provisória 657: "Essa MP, ao invés de reconhecer os avanços da PF dos últimos anos, volta no tempo para criar um cargo político dentro da polícia, tornando o órgão mais dividido e burocrático. Estão recriando a polícia fascista da ditadura militar".


http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/10/21/pf-anuncia-paralisacao-de-72-h-a-partir-de-amanha.htm

2014/10/20

Pezão chega a 46% das intenções de voto e amplia vantagem sobre Crivella, diz Ibope

Candidato do PRB cai dois pontos percentuais e tem 36%


RIO — O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidato à reeleição, tem 46% das intenções de voto e segue liderando a disputa pelo governo do estado, mostra a pesquisa Ibope divulgada na noite desta segunda-feira. O candidato do PRB, Marcelo Crivella, aparece com 36%. Os dois candidatos oscilaram dentro da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Pezão subiu um ponto em relação à pesquisa divulgada na sexta-feira, enquanto Crivella caiu dois. A vantagem de Pezão, que era de sete pontos percentuais na sexta-feira, agora está em dez pontos.


Brancos e nulos somam 13%, enquanto 5% dos eleitores entrevistados não souberam responder. Em relação aos votos válidos, Pezão aparece com 56%, dois pontos a mais que no levantamento anterior. Crivella perdeu dois pontos e aparece com 44%.


O Ibope mediu também a avaliação do governo Pezão. Dos eleitores entrevistados, 50% afirmaram que aprovam a gestão, um aumento de três pontos em relação ao levantamento anterior. Já 32% disseram que desaprovam o governo, uma queda de dois pontos.


Nesta segunda-feira, Pezão e Crivella cumpriram, em momentos distintos, agendas de campanha ao lado da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição.


O Ibope ouviu 2.002 eleitores em 46 municípios do Rio, entre sexta-feira e domingo. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) com o número RJ-00073/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR 00073/2014.


por
http://oglobo.globo.com/brasil/pezao-chega-46-das-intencoes-de-voto-amplia-vantagem-sobre-crivella-diz-ibope-14306362

2014/10/18

Quo vadis?

Lamentavelmente, mas muito lamentavelmente mesmo, nos últimos anos Campos só tem surgido no chamado cenário nacional da mídia por situações que jamais gostaríamos de ver. Por favor, alguém diga que estou equivocado, e me mostre.